Polícia Civil prende homem suspeito de ameaçar de morte vereadora Larissa Gaspar

Corporação informou que o homem detido no Jardim Guanabara, em Fortaleza, não integrava organização criminosa

Larissa Gaspar
Legenda: Parlamentar registrou B.O após ser intimidada por um perfil nas redes sociais
Foto: Reprodução/Instagram

A Polícia Civil prendeu na noite dessa terça-feira (27) um homem suspeito de ameaçar de morte a vereadora de Fortaleza, Larissa Gaspar (PT). A captura ocorreu cerca de 12 horas após o registro da ocorrência através da Delegacia Eletrônica (Deletron). 

O detido tem 27 anos e foi localizado no bairro Jardim Guanabara. Ele não resistiu à prisão. Os policiais o encaminharam à Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por ameaça. 

A resposta ao ataque virtual contou com o apoio do Departamento de Inteligência Policial (DIP) e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core). 

"As investigações apontam que o suspeito, que não possuía antecedentes criminais, não integra nenhuma organização criminosa e que as ameaças foram motivadas pelo trabalho desenvolvido pela vítima na Câmara Municipal de Fortaleza", explicou a polícia civil. 

ameaça larissa gaspar
Foto: Reprodução/Instagram

Ameaça

Larissa revelou ter sido intimidada ainda na madrugada dessa terça-feira no perfil do Instagram. O homem deixou um comentário em uma das postagens.

"A mensagem diz 'Estamos planejando a sua morte, então cuidado com sua família ou na hora de sair de casa'. A vereadora teve ainda seu nome marcado em um vídeo onde homens exibem armas", detalhou nota oficial.

Após o episódio, a parlamentar registrou boletim de ocorrência, comunicou à presidência da Câmara Municipal, à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social e ao Ministério Público do Ceará (MPCE).

O governador Camilo Santana chegou a prestar solidariedade à vereadora e reforçou o pedido de apuração do caso. "Que a pessoa responsável por tentar intimidar a parlamentar seja identificada e punida dentro da lei".