PDT oficializa candidatura de Roberto Cláudio para o Governo do Ceará com Domingos Filho na vice

O nome do ex-prefeito de Fortaleza foi homologado em convenção partidária

Escrito por Alessandra Castro, Luana Barros, Jéssica Welma,

PontoPoder
Roberto Cláudio chegou carregado pela militância na convenção do PDT
Legenda: Roberto Cláudio chegou carregado pela militância na convenção do PDT
Foto: Fabiane de Paula

O diretório do PDT oficializou, neste domingo (24), a candidatura do ex-prefeito Roberto Cláudio ao Governo do Estado. O evento para homologação do nome do candidato ocorreu em convenção partidária, realizada no Colégio Farias Brito Central. 

"Saio candidato aqui hoje pra fazer um manifesto de amor e respeito pelo Ceará e pelos cearense. Nossa campanha vai dar o exemplo. Ataques, agressão, é típico daqueles que vivem um vácuo de ideias, um vácuo de propostas. (...) Cada resposta será dada de forma firme, altiva e assertiva, mas trataremos de praticar aquele ditado, quando a coisa for pequena e for picuinha: 'eu nem escuto a zuada da mutuca'", disse o pedetista em seu discurso.

Roberto Cláudio durante convenção do PDT
Legenda: Roberto Cláudio durante convenção do PDT
Foto: Fabiane de Paula

Ele também pediu apoio da militância para a disputa eleitoral. "Não será uma campanha fácil, e é assim que é bom. Quanto mais desafio, mais valor a gente dá à vitória", ressaltou. 

Roberto Cláudio chegou ao evento ao lado do candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, do presidente do PSD Ceará, Domingos Filho, e do presidente do PSB Ceará, Denis Bezerra. Também estiveram com ele no palanque o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), o vice-prefeito Élcio Batista (PSB), o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Antônio Henrique (PDT), e outras lideranças políticas.

Durante discurso, o presidente estadual do PDT, André Figueiredo, anunciou Domingos Filho como o candidato a vice na chapa.

Roberto Cláudio
Legenda: Roberto Cláudio com Domingos Filho, Ciro Gomes e José Sarto
Foto: Fabiane de Paula

O PDT ainda aguarda acerto com o ex-governador Camilo Santana (PT) para vaga ao Senado. Figueiredo disse ainda que quer que o candidato a senador seja alguém "para lutar contra o retrocesso", mas não citou Camilo em seu discurso.

O presidente do PDT nacional, Carlos Lupi, disse que depende de Camilo a aliança pelo Senado. "Ele é o nosso candidato ao Senado, só depende dele, se ele não quiser o nosso voto, não podemos fazer nada. (...) Vou trabalhar até a última hora com essa vontade, com essa decisão de ter Camilo (candidato a) senador na chapa de Roberto Cláudio", afirmou Lupi ao chegar ao evento.

André Figueiredo
Legenda: Presidente do PDT Ceará, Carlos Lupi
Foto: Fabiane de Paula

Escolhido como candidato a vice-governador, Domingos Filho também mostrou esperança em uma reaproximação com o PT e o ex-governador Camilo. "Eu esperava que o ex-governador Camilo pudesse estar ao nosso lado. Ainda espero, ainda tem tempo até o dia 5 de agosto para as definições finais", afirmou. Caso se confirme uma candidatura petista, ele diz que passará a exigir "mais trabalho" tanto dele como de Roberto Cláudio. 

"Para que a gente possa ir para o segundo turno disputando não só com o adversário que já estava posto, mas também com um que pode nascer se essa for a decisão do PT", disse.

Domingos Filho
Legenda: Presidente do PSD Ceará, Domingos Filho foi confirmado como candidato a vice-governador na chapa com Roberto Cláudio
Foto: Fabiane de Paula

Estão presentes os deputados federais Eduardo Bismarck, Mauro Filho, Idilvan Alencar, Leônidas Cristino e Pedro Augusto Bezerra; e os estaduais Bruno Pedrosa, Oriel Nunes, Guilherme Landim, Osmar Baquit, Romeu Aldigueri, Salmito Filho e Sérgio Aguiar.

Erika Amorim e Naumi Amorim
Legenda: Deputada Érika Amorim e o ex-prefeito Naumi Amorim, ambos do PSD
Foto: Fabiane de Paula

Definição no PDT

O ex-gestor da Capital foi escolhido para representar o PDT na última segunda-feira (18), por maioria dos votos do diretório estadual em detrimento do nome da governadora Izolda Cela - então pré-candidata da legenda.

A decisão em favor de Roberto culminou em um racha no grupo governista, que pôs fim à aliança longeva de 16 anos com o PT no Ceará. Petistas e o ex-governador Camilo Santana (PT) defendiam o direito de Izolda disputar à reeleição, assim como outros aliados.

Agora, Camilo articula junto a outras lideranças que antes compunham o grupo governista, como MDB, PP, PV e PC do B, uma candidatura própria do PT à sucessão Estadual.

Em paralelo, lideranças do PDT ainda tentam reverter a situação e continuar o acordo político com o PT no Governo do Ceará e cobram um posicionamento da governadora Izolda favorável ao grupo. A possibilidade do remendo do enlace ainda no primeiro turno fica cada vez mais remota à medida que os diálogos vão sendo intensificados pelo ex-mandatário.

Racha

Na última sexta-feira (22), inclusive, Roberto Cláudio disse “ter sido pego de surpresa” pelo apoio do ex-governador à Izolda na pré-campanha. A afirmação foi dita em entrevista ao colunista do Diário do Nordeste Inácio Aguiar – que, mais tarde, no mesmo dia, trouxe declarações do prefeito de Sobral, Ivo Gomes (PDT), sobre o fim da aliança.

Irmão mais novo do clã Ferreira Gomes, Ivo atribuiu ao irmão Ciro Gomes, candidato à Presidência da República pelo PDT, e a Roberto Cláudio os “danos” causados à ampla aliança governista no Ceará.

Antes disso, inclusive, Ivo já tinha dito que o irmão Cid Gomes (PDT) preferia Izolda a Roberto. A declaração foi concedida nas vésperas da votação do diretório, quando saiu em defesa da mandatária em meio ao acirramento da crise interna e externa no grupo governista.

Roberto, por sua vez, contava com apoio de da maioria dos vereadores de Fortaleza e de parte da cúpula do PDT, como Ciro e o presidente nacional da agremiação, Carlos Lupi, além do PSB e PSD - este último já havia declarado que apoiaria o candidato que fosse escolhido.

Trajetória política

Nascido em Fortaleza em Fortaleza em 15 de agosto de 1975, Roberto Cláudio é médico e ingressou na política em 2006, quando disputou pela primeira vez o cargo de deputado estadual com apoio do grupo dos irmãos Ferreira Gomes. Na Assembleia, foi reeleito e chegou a presidir o Parlamento Estadual durante seu segundo mandato, no Governo de Cid Gomes.

Em 2012, foi escolhido como o representante do seu grupo para disputar a Prefeitura de Fortaleza, colocando um fim no casamento de seis anos entre Ferreira Gomes e PT na Capital. 

Na época, Luizianne Lins (PT) tentava emplacar Elmano Freitas (PT) como seu sucessor. Todavia, os irmãos Cid e Ciro Gomes, então aliados de Luizianne, apresentaram o nome de Roberto ao pleito – rompendo a aliança.

Roberto, por sua vez, foi eleito prefeito de Fortaleza e reeleito em 2016, dessa vez com apoio do então governador Camilo Santana, dando continuidade à boa vizinhança entre Estado e Prefeitura de Fortaleza. Apesar da boa relação com Camilo, ele tem acompanhado os irmãos Ferreira Gomes pelas últimas legendas que eles passaram. Mesmo iniciando a carreira política no PHS, Roberto migrou para o PSB, Pros e PDT junto com Cid e Ciro. 

Em 2020, o então gestor da Capital conseguiu emplacar seu sucessor na Prefeitura de Fortaleza, o atual prefeito José Sarto (PDT). Agora, Roberto deve disputar o comando do Executivo estadual.