Bolsonaro caminha por hospital e compartilha registro: 'em breve, de volta'

Presidente da República está internado em hospital de SP para tratar obstrução intestinal

Bolsonaro em hospital de São Paulo
Legenda: Bolsonaro passará por nova avaliação clínica nesta sexta-feira (16)
Foto: reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) compartilhou imagem em que aparece caminhando pelo hospital Vila Nova Star, em São Paulo, local onde está internado para tratar uma obstrução intestinal. Como legenda, ele disse que está "em breve de volta a campo".

"Em breve, de volta a campo, se Deus quiser! Muito fizemos, mas ainda temos muito a fazer pelo nosso Brasil! Obrigado pelo apoio e orações. Um forte abraço a todos!", escreveu nas redes sociais.

Ainda nesta sexta-feira (16), ele passará por avaliação clínica para saber se pode iniciar uma dieta líquida, algo já previsto pela equipe de saúde que o acompanha. 

Internado no hospital desde a quinta-feira (15), quando deixou o Hospital das Forças Armadas, em Brasília, o presidente vinha sendo hidratado por soro e com alimentação parental, com nutrientes sendo injetados pela veia.

Sem previsão de alta 

A nota desta quinta-feira, assinada pelo médico-cirurgião Antônio Macedo e por mais quatro médicos responsáveis pelo tratamento do presidente, não informa quanto tempo vai durar a internação e reafirma não haver ainda previsão de alta.

No início da noite, em entrevista ao vivo ao programa do apresentador Sikêra Júnior, na RedeTV!, Bolsonaro disse que deve ter alta nesta sexta-feira (16) e que as funções intestinais estão se recuperando apenas com o tratamento terapêutico, sem a necessidade de cirurgia.

"Dada a facada que eu recebi e quatro cirurgias, essa obstrução [intestinal] é sempre um risco muito alto. Mas, graças a Deus, de ontem para hoje, evoluiu bastante esse quadro. Então, a chance de cirurgia está bastante afastada", disse o presidente.

Antônio Macedo estava ao lado do paciente durante a conversa e confirmou a melhora. Ao jornal Folha de S.Paulo, depois da entrevista na TV, Macedo disse que, diferentemente do que havia anunciado Bolsonaro, a alta não está prevista para esta sexta.

"A cirurgia, a princípio, está afastada, uma vez que o intestino começou a funcionar e o abdome está mais flácido e mais funcionante", disse Macedo ao programa da RedeTV!.

O médico afirmou ainda que a sonda gástrica que Bolsonaro está usando deve ser retirada, mas que o mandatário terá que seguir uma dieta líquida. "O presidente hoje [quinta-feira] melhorou. Ele ainda está de sonda gástrica, nós estamos estudando a retirada da sonda porque os barulhos do abdome são bons, os ruídos são bons", afirmou.

"E aquela área obstruída do lado esquerdo [do abdome], fruto de aderências decorrentes de toda essa complicação que ele teve, já esta mais palpável, pode permitir a retirada da sonda gástrica, ainda garantindo dieta líquida", explicou o especialista.