Projeto São José IV incentiva produção agrícola de 13 mil famílias

Segundo a Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará, US$ 65 milhões serão investidos em 430 projetos a ser selecionados. Iniciativa deve contribuir para a permanência das famílias na zona rural e geração de emprego

Legenda: Entre 2015 e 2020, o projeto São José já beneficiou 8,85 mil famílias, em 267 projetos no Estado
Foto: Marcelino Júnior

A quarta fase do Projeto São Francisco vai beneficiar 13 mil famílias com US$ 65 milhões (cerca de R$ 345 milhões) a serem investidos na produção, segundo o secretário do Desenvolvimento Agrário, De Assis Diniz. O anúncio do programa, que tem como objetivo garantir o abastecimento hídrico e o incentivo à agricultura familiar no interior do Ceará, foi feito ontem (25) pelo Governo do Estado

Diniz detalha que 430 projetos produtivos serão selecionados através do edital. Os inscritos passarão por análise de viabilidade técnica, plano de negócios, plano de ação, até chegar à execução da obra ou consultoria, que pode durar de oito meses a um ano, dependendo do projeto.

"Os projetos devem ser inscritos por grupos organizados, associações, cooperativas, condomínios. Esses grupos apresentam projetos produtivos que estarão focados no mercado e na inclusão produtiva. Queremos que a realização desse projeto seja para ampliar a capacidade de sustentabilidade dos empreendimentos, a geração de renda, a produção e a comercialização", afirma Diniz.

Emprego e renda

O presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece), Raimundo Martins Pereira, ressalta que o São José IV, com o enfoque na produção, possibilita a permanência das famílias no campo, além de ampliar a geração de renda e emprego. "Os projetos na linha de produção visam estruturar a industrialização e a comercialização. Tudo isso gera emprego e renda no campo", afirma.

Apesar da perspectiva de abertura de novos postos de trabalho na agricultura familiar, Pereira não estimou o número de vagas que devem ser abertas a partir do investimento. Ainda assim, ele destaca os casos bem-sucedidos já obtidos com o São José III.

"Nós já tivemos importantes projetos, como uma indústria de castanha na Região Metropolitana de Fortaleza, a industrialização do leite no Sertão Central, e abatedouros públicos nos Inhamuns e Crateús que vão nessa linha da caprinocultura", aponta.

Fornecimento hídrico

Além do incentivo e assistência à produção agropecuária familiar, o projeto São José IV ainda visa a iniciativas de segurança hídrica, baseadas no reúso, nos moldes sanitários e sistemas de abastecimento. Essa ramificação do projeto contará com US$ 53 milhões, beneficiando 93 mil famílias.

Ao todo, a quarta etapa do projeto contará com US$ 150 milhões. Parte dos recursos, cerca de US$ 100 milhões, é proveniente de um empréstimo do Banco Mundial. Já os US$ 50 milhões restantes são a contrapartida do Estado.

Durante o anúncio em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o governador Camilo Santana destacou a importância da iniciativa. "Será um novo financiamento de projetos na área da agricultura familiar em todo o Ceará. São projetos de abastecimento de água, produtivos, mecanização agrícola, assistência técnica - e neste ano teremos projetos de reúso de água, que é uma inovação", disse.

Entre 2015 e 2020, o São José foi responsável pela implantação de 259 sistemas de abastecimento de água em 99 municípios do Estado, beneficiando 145 mil cearenses, segundo o Estado. Além disso, outras 8.853 famílias foram atendidas com a implantação de 267 projetos produtivos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios