Presidente da Caixa justifica que desbloqueios do Caixa Tem geraram filas neste 1º dia de auxílio

Receberão o recurso nesta terça-feira (6) os beneficiários nascidos em janeiro

Presidente da Caixa fala ao microfone
Legenda: Pedro Guimarães disse que a movimentação "já era espera"
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Após registros de extensas filas e aglomerações em agências, o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, justificou que a situação ocorre devido a beneficiários que tentam desbloquear o aplicativo Caixa Tem — plataforma usada para o pagamento auxílio emergencial a ser pago novamente a partir desta terça-feira (6). 

As informações são do portal UOL. O dinheiro concedido, porém, não pode ser sacado e fica retido no aplicativo para compras, transferências e pagamento de contas. 

Serão os primeiros a receber o benefício aqueles trabalhadores nascidos em janeiro (ver calendário abaixo). A nova rodada pressionou ainda mais a demanda nas unidades da instituição bancária. Em Fortaleza, houve lotação em agências. 

"O que está acontecendo hoje, que já era esperado? Estamos pagando aquelas pessoas que nasceram em janeiro. Agora, muitas pessoas estão indo às agências para desbloquearem, eventualmente, o aplicativo do Caixa Tem", disse em entrevista à CNN Brasil.

“Hoje, já esperávamos um dia mais intenso porque não estão indo apenas os 2,5 milhões de brasileiros que vão receber o auxílio”, afirmou. 

“ Basicamente, temos quase todos aqueles que têm algum tipo de dúvida e que o aplicativo está bloqueado porque há uma questão em relação às fraudes, e quando temos uma desconfiança pedimos que as pessoas vão às agências, e com a identificação nós liberamos”, complementou. 

Filas
Foto: Fabiane de Paula

Pessoas em fila
Legenda: Beneficiários precisaram enfrentar extensas filas
Foto: Fabiane de Paula

Pessoas em fila
Legenda: Beneficiários precisaram enfrentar extensas filas
Foto: Fabiane de Paula

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios