Fortaleza tem novo ponto de interconexão

A cidade alcança o terceiro lugar no ranking de cidades com maior e mais importante tráfego de internet do país com circulação de 227 gigabits de dados por segundo

Legenda: A cidade cresceu 400% em tráfego de internet em 2018. A expectativa é que em 2020 a cidade passe a movimentar cerca de 600 gigabits de dados por segundo
Foto: Foto: Divulgação

A companhia multinacional Angola Cables lançou um novo ponto de interligação ao Ponto de Troca de Tráfego (PTT), ou PIX, em seu recém-inaugurado Data Center, localizado na Praia do Futuro. O PIX faz parte da malha de conectividade do Brasil Internet Exchange (IX.br) de Fortaleza. O PIX faz parte da malha de conectividade do IX.br (Brasil Internet Exchange) de Fortaleza, uma iniciativa do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) que promove a infraestrutura necessária para a interligação direta, em uma região metropolitana, de redes que participam da Internet no Brasil.

O tráfego de informações dos clientes da empresa ficarão alocados em um ponto da região e serão beneficiados com outros serviços, como acesso a alta capacidade de tráfego de rede, trânsito IP de alta qualidade, acesso a redes de internet ao redor do globo, soluções de cloud e a todo ecossistema proporcionado pelo Data Center, assim como o acesso aos cabos submarinos Monet, SACS e WACS, que oferecem a menor latência entre as Américas, África e Europa.

227 gigabits
O investimento na construção do novo Ponto de Interligação do IX.br vai beneficiar também todo o tráfego de internet de Fortaleza, o terceiro maior e mais importante do país, que movimenta 227 gigabits de dados por segundo.

A cidade cresceu 400% em tráfego de internet em 2018. A expectativa é que em 2020 a cidade passe a movimentar cerca de 600 gigabits de dados por segundo. O segundo lugar do ranking é o Rio de Janeiro, com circulação de 1.14 terabits por segundo. A primeira posição é de São Paulo, com 5.36 terabits por segundo. No PIX, os usuários tais como provedores de acesso à Internet e empresas de serviço de streaming estarão ligadas diretamente a 174 outras redes. 

“Percebemos que cada vez mais empresas que precisam trafegar dados buscam companhias de telecom que, além de fornecer infraestrutura avançada e soluções inovadoras de transmissão de dados, possam ofertar um ecossistema completo e integrado, como é o caso do Data Center da Angola Cables de Fortaleza, que está ajudando a transformar o panorama digital e de conectividade no Hemisfério Sul”, explica o novo Diretor-Regional da Angola Cables no Brasil, Victor Adonai Costa.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de negócios?