Rihanna entra oficialmente para ranking de bilionários da Forbes; veja fortuna da cantora

Artista teve fortuna avaliada em 1,7 bilhão de dólares, dos quais maior parte vem de empresa de cosméticos

Escrito por Redação,

Zoeira
Rihanna trabalhada em joias douradas e óculos escuros
Legenda: Artista não lança álbuns novos desde 2016, tendo construído fortuna fora dos palcos
Foto: reprodução/Instagram

A cantora e empresária Rihanna, 33 anos, entrou oficialmente para o ranking de bilionários do mundo nesta quarta-feira (4). A fortuna da artista é avaliada em US$ 1,7 bilhão, o que equivale a R$ 8,8 bilhões, e a coloca como a cantora mais rica do mundo. As informações são da Forbes.

Embora tenha alcançado a fama como cantora, Robyn Rihanna Fenty alcançou o patrimônio atual a partir da sua atuação no ramo da beleza. Em 2017, ela lançou a Fenty Beauty, uma empresa de cosméticos no modelo joint-venture 50-50 com o conglomerado francês de bens de luxo LVMH, administrado por Bernard Arnault, a segunda pessoa mais rica do mundo.

A marca, que busca inclusão de mulheres de todos os lugares do mundo dada a ampla gama de cores, rendeu sozinha à artista cerca de U$ 1,4 bilhão do bruto de sua fortuna. O resto do montante é fruto de negócios de sua empresa de lingerie, Savage X Fenty, que tem valor estimado de US$ 270 milhões, além de seu ganhos como artista.

Na indústria do entretenimento, a nova bilionária fica atrás apenas da apresentadora Oprah Winfrey.

Monetização

Com mais de 103 milhões de seguidores no Instagram, Rihanna não é a única celebridade a monetizar sua presença nas redes sociais para construção de uma marca de beleza: a socialite e influencer Kylie Jenner, 23 anos, com 254 milhões de seguidores, também participa desse mercado. A cantora, porém, é a empresária do segmento mais bem-sucedida.

Dois anos após inclusão em lista de bilionários, a fundadora da marca Kylie Cosmetics foi retirada oficialmente da lista da publicação. O motivo teria sido uma inflação de valores apresentados por ela e Kris Jenner, sua mãe e empresária, em documentos à revista. A fortuna de Kylie, atualmente, é avaliada em US$ 700 milhões.

Além dela, a socialite Kim Kardashian, com a KKW Beauty, e a atriz Jessica Alba, com a Honest company, participam do mercado de cosméticos.

Produtos

Os produtos de Rihanna, disponibilizados on-line e nas lojas Sephora — também propriedade da LVMH  —, tiveram sucesso instantâneo. Em 2018, primeiro ano de operação da marca, a linha gerava mais de US$ 550 milhões em receitas anuais.

Conforme Shannon Coyne, cofundadora da consultoria de produtos de consumo  Bluestock Advisors, Rihanna foi uma das primeiras pessoas a aparecer e criar produtos para contemplar uma ampla variedade de clientes — a marca, por exemplo, oferece uma base em 50 tons. “Muitas mulheres não encontravam produtos que se ajustassem ao seu tom de pele. Era claro, médio, médio escuro e escuro”, diz.

Sombras em 50 tons da marca Fenty Beauty
Legenda: Marca Fenty Beauty oferece extensa variedade de cores a clientes
Foto: reprodução/Instagram

Investimentos em beleza

Apesar da queda na venda de cosméticos durante a pandemia, empresas de beleza como a Estée Lauder e a L'Oreal passaram a valer mais do que nunca. Os grupos de cosméticos viram suas ações se recuperar e ser negociadas a 7,5 vezes ou mais do que a receita anual. Marcas independentes, como Beautycounter e Charlotte Tilbury, também ficaram avaliadas em bilhões.

Com os ganhos nas negociações das empresas de beleza, a Forbes estima que Fenty Beauty chegou ao patamar de US$ 2,8 bilhões. E o crescimento só deve continuar: a LVMH, em relatório anual de 2020, afirmou que a marca, considerada "premium", teve um "início muito promissor" e gerou um "burburinho sem precedentes".

Outras marcas de Rihanna

Já a linha de lingerie Savage X Fenty arrecadou US$ 115 milhões em uma captação, chegando a ser avaliada em US$ 1 bilhão. Lançada em 2018, a marca é uma joint-venture com o TechStyle Fashion Group, e tem participação acionária de 30% pela cantora.

Apesar dos lucros gigantes, nem tudo que Rihanna toca vira ouro. Ela e a LVMH encerraram as atividades da grife Fenty, lançada em 2019 e impactada pela pandemia de Covid-19. A última coleção dessa marca foi lançada em novembro de 2020.

Em relação ao mercado musical, a cantora não lança álbuns desde 2016, quando divulgou "Anti".