Caetano Veloso, chamado de pedófilo, perde ação contra Marco Feliciano

Deputado comemorou vitória em rede social

Conflito entre Feliciano e Caetano começou em 2017
Legenda: Conflito entre Feliciano e Caetano começou em 2017
Foto: Reprodução/Instagram

O cantor Caetano Veloso perdeu uma ação contra o deputado e pastor Marco Feliciano (Republicanos-SP). O caso teve início após Feliciano ter sugerido, em 2017, que o artista teria cometido pedofilia contra Paula Lavigne — quando se conheceram, ela tinha 13 anos e, o baiano, 40.

O cantor acusou o parlamentar de injúria, difamação e calúnia, mas não teve as queixas aceitas pelo juiz Nelson Ferreira Junior, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF).

Publicação de Marco Feliciano sobre o caso em rede social
Legenda: Publicação de Marco Feliciano sobre o caso em rede social
Foto: Reprodução/Twitter

O parlamentar chegou a comemorar a decisão no Twitter. "Hoje é um grande dia para mim, para a esperança, para a justiça! Fui Absolvido das acusações feitas pelo Caetano Veloso. Em tempos obscuros a esperança brilha forte! Nenhum brasileiro pode ser punido por sua opinião! Justiça foi feita! Obrigado a todos que se solidarizaram comigo!".

Ação pela internet

A fala de Feliciano que repercutiu foi postada em rede social, em 2017. O deputado escreveu no Twitter: "Por que a Procuradoria-Geral da República  (PGR) não pede a prisão de Caetano Veloso? Estupro é crime imprescritível".

Na época, o deputado foi notificado que o baiano buscaria uma ação legal. Feliciano foi novamente às redes sociais: "Todos nós sabemos que isso é crime, isso é estupro de vulnerável, isso é pedofilia e o Caetano se incomodou com isso e mandou uma notificação extrajudicial".