Campanha de arrecadação de livros para detentos do CE angaria mais de 1.000 exemplares

A iniciativa pretende obter 2.000 obras até este mês para internos do sistema prisional do Estado e dependentes químicos

Livros literários são muito importantes para o projeto
Legenda: Livros literários são muito importantes para o projeto
Foto: Divulgação

Centenas de livros terão a oportunidade de parar nas mãos de detentos do sistema carcerário do Ceará. Graças à campanha do Grupo Cristão Mãos de Luz, mais de 1.000 exemplares já estão destinados aos beneficiados pela iniciativa, que amparará, também, neste ano, dependentes de álcool e outras drogas. A meta é conseguir angariar 2.000 obras até o final deste mês.
 
Os exemplares arrecadados alimentam o projeto 'Livro Aberto', da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), com narrativas literárias, objetivando, a partir da ressocialização, reduzir a pena dos detentos. As obras de outras categorias, como autoajuda, serão encaminhadas para pacientes dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), que tratam, dentre outros, dependentes químicos.
 
Segundo a SAP, o  projeto, paralisado em decorrência da pandemia do novo coronavírus,  foi retomado em julho deste ano. Na próxima semana serão empregados os exames de resenha que comprovam a leitura realizada pelos detentos. Com a aprovação da Secretaria de Educação do Estado do Ceará (Seduc), há a possibilidade de remissão da pena.
 
Novas perspectivas
 
O Mãos de Luz beneficia, ao todo, seis grupos vulneráveis do Ceará, por meio de arrecadações feitas nas chamadas caravanas, em que cada uma deles dura dois meses. Uma das iniciativas é a doação de mantimentos. Neste mês de julho, foi iniciada a campanha que alimenta perspectivas de futuros, ao arrecadar livros para os detentos e dependentes químicos.
 
A iniciativa de arrecadação de obras, criada em 2017,  já angariou mais de 15.600 exemplares. Neste ano, apesar das dificuldades impostas pela pandemia, uma das voluntárias do projeto, Laritza Lima, acredita  que a meta de receber 2.000 livros será alcançada.
 
O presidente do grupo cristão, José Ricardo, chegou a relatar  sobre como o projeto também teve a capacidade de mudar a vida dos voluntários da iniciativa. "Eu nunca tinha entrado em um presídio, e eu fui lá, conhecer a situação dos detentos, interagir com eles. Levei alguns alunos, outros professores, então foi uma mudança de mentalidade muito interessante".
 
Com as centenas de livros arrecadados, a campanha pretende mudar a vida de inúmeros leitores que se encontram nas cadeias ou acorrentados a vícios. “Há pessoas querendo uma segunda chance, que estão juntas ao 'Livro Aberto'. Elas  sonham em sair da prisão e ter uma oportunidade de ser alguém melhor, conquistar a ressocialização”, pontua Laritza.
 
Com doar
 
As doações podem ser feitas até o dia 28 deste mês de agosto, em pontos de coleta, em Fortaleza, informou Laritza. Um deles é o hospital veterinário da Universidade Estadual do Ceará (Uece), situado na Avenida Doutor Silas Munguba, 1700, Campus do Itaperi.
 
Conforme a voluntária, os livros a serem arrecadados pela campanha podem ser obras literárias, biografias, autoajuda e compilados de poesia. Com um recebimento de exemplares didáticos, que não são o foco da iniciativa, Laritza informou que há um processo de triagem, para que o material estudantil seja remanejado para outras doações.
 
Nesta quinta-feira (5), o grupo fará uma live, às 17h30, para tirar dúvidas sobre a ação. O evento contará com a presença da SAP e do presidente do Grupo Cristão Mãos de Luz,  José Ricardo.


Para mais informações sobre o estudo, acesse: http://www.brasilgameshow.com.br/estudo-mercado-de-games/