Movimento 'Crise do Humor Cearense' busca ajudar trabalhadores da comédia afetados pela pandemia

Iniciativa organizada por grandes nomes do humor no Ceará já arrecadou 138 cestas básicas. Devido à situação precária de muitos artistas, grupo solidário pede ajuda da sociedade.

Cestas básicas arrecadadas pelo movimento 'Crise do Humor Cearense'
Legenda: Cestas básicas arrecadadas pelo movimento 'Crise do Humor Cearense'
Foto: Foto: Reprodução

A pandemia do novo coronavírus afetou a vida de inúmeros trabalhadores da cultura no Ceará. E quem ganha a vida trazendo alegria à população precisa de ajuda. Artistas da comédia estão sem conseguir garantir o sustento das famílias.  O movimento "Crise do Humor Cearense" busca socorrer estes profissionais.  

Conhecido como a “Terra do Riso”, o Ceará agora vê seus comediantes em difícil situação. Quem dá o alerta é o humorista Luciano Lopes, criador da personagem Luana do Crato. "Nossa meta é amenizar aqueles que estão precisando, para quem necessita do mínimo de apoio. A meta é ajudar todos os artistas do humor”, defendeu o artista. 

Atendendo a medidas emergenciais da quarentena, espaços públicos voltados à arte estão fechados. Casas de show, circos, teatros, entre outros equipamentos, pararam. Apresentações foram canceladas ou adiadas. A falta de renda agravou a situação de muitos humoristas, incluindo profissionais que trabalham nos circos. Em dois dias de campanha foram arrecadadas 138 cestas básicas. 

Cerca de 70 artistas estão unidos na causa. A campanha foi idealizada por outro nome da comédia local, o ator e comunicador Amadeu Maya. Ciro Santos, Aluísio Jr, Elvis Preto e Luciano Lopes completam a comissão organizadora. “Pedimos a amigos e humoristas com condições de poder ajudar os colegas. Estamos distribuindo para aqueles humoristas que realmente estão necessitando. O grupo trabalha com uma triagem de quem está precisando, vendo quais pessoas estão carentes do básico”, detalha Luciano. 

Apoio 

Até agora, o grupo arrecadou cestas básicas ou dinheiro para compra das cestas. Pessoas interessadas em doar podem entrar em contato via telefone (ver serviço). Luciano explica que muitos artistas ligados ao humor já tinham uma situação complicada. A pandemia agravou ainda mais o cotidiano de quem vive com tão pouco. 

"Nossa meta é amenizar aqueles que estão precisando, para quem necessita do mínimo de apoio. A meta é ajudar todos os artistas do humor. Se puder estender para outras classes, sim. Mas, primeiro o pessoal do humor. Queremos que o nosso projeto seja replicado, que o pessoal da dança, música, teatro (que já estão se agilizando). Nossa meta é que todos passem essa crise de barriga cheia", aponta.  

Na última segunda-feira (23), o governo estadual anunciou a produção de um edital voltado a artistas. A medida trará benefícios em duas frentes. Vai possibilitar programação cultural à população que está em quarentena e dar suporte financeiro emergencial para a classe artística.