Tempestades de areia retornam e atingem interior de São Paulo nesta quinta-feira (14)

Fenômeno cobriu céu de pelo menos 11 cidades paulistas

Céu coberto por tempestade de areia em São Paulo
Legenda: Eventos são causados pelo tempo seco e pela ocorrência de queimadas
Foto: Reprodução/Twitter

Moradores de pelo menos 11 cidades do interior de São Paulo registraram vídeos de tempestades de areias na tarde desta quinta-feira (14). As grandes nuvens de areia retornaram a SP quase duas semanas após a última ocorrência dos fenômenos, que avançaram sobre quatro estados.

Areia cobriu os céus de Ribeirão Preto, Barretos, Batatais, Pirassununga, São Joaquim da Barra, Pitangueiras, Sertãozinho, Serrana, Brodowski, Jardinópolis e Colômbia. As informações são do portal Uol

Vídeos divulgados nas redes sociais mostram "muros" de areia no céu. Em outros registros, é possível ver tons de marrom e vermelho tomando conta da paisagem. 

"Poderia ser o Saara. Mas é só Serrana City em mais um dia normal no meio da poeira", brincou uma moradora da cidade de Serrana no Twitter. 

VEJA VÍDEOS:

Tempo seco 

Segundo o portal Clima Tempo, o tempo seco em São Paulo, além da ocorrência de queimadas, contribui para as tempestades de areia acontecerem. A frequência do fenômeno deve aumentar nos próximos anos. 

Sequência de estações chuvosas ruins, com precipitações abaixo da média, contribuíram para que os solos ficassem muito secos. Com isso, a "terra" solta é facilmente levantada por ventos, que chega a quase 100 km/h na primavera. 

"De certa forma esses eventos são comuns, mas não dessa dimensão como vimos em 2021. Isso é resultado de um longo período de escassez de chuva”, afirmou o meteorologista Estael Sias, da agência Metsul, à AFP.

Seis pessoas morreram

Pelo menos seis pessoas morreram em São Paulo devido ao desabamento de árvores, casas e outras consequências diretas das tempestades, segundo a imprensa local noticiou na última passagem do fenômeno, no começo de outubro.

Quatro estados brasileiros registraram tempestades de areia no dia 1º de outubro. De acordo com a empresa de meteorologia Metsul, cidades do interior de São Paulo foram as mais atingidas. O fato também aconteceu em municípios de Goiás, Mato Grosso do Sul e Maranhão. As informações são do O Globo.

O fenômeno observado causou o destelhamento de casas e prédios, derrubada de árvores e o tombamento de um caminhão em Presidente Prudente, no interior de São Paulo. Este foi um dos locais mais afetados, segundo a Metsul.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil