Corpos de Dom Phillips e Bruno Pereira, mortos na Amazônia, são entregues às famílias

Os funerais do jornalista e do indigenista acontecem neste fim de semana

caixão carregado transportado
Legenda: Corpos de Dom e Bruno foram entregues às famílias para sepultamentos
Foto: Evaristo Sá/AFP

Os corpos do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista brasileiro Bruno Pereira, assassinados na Amazônia, foram entregues nesta quinta-feira (23) a suas famílias, no mesmo dia em que um quarto suspeito por envolvimento no caso foi detido pela Polícia.

Os restos mortais foram entregues pela Polícia Federal (PF) aos parentes para os respectivos funerais. O de Pereira está previsto para esta sexta-feira (24), em Recife. Já o de Phillips será velado e cremado no domingo (26) em Niterói, cidade da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. 

A viúva de Dom, a brasileira Alessandra Sampaio, divulgou uma fotografia segurando a aliança de casamento do marido, encontrada pela polícia perto do corpo.

Mortes na Amazônia 

Phillips, de 57 anos, e Pereira, de 41, foram mortos a tiros quando voltavam de uma expedição no Vale do Javari, em uma área remota da Amazônia.

polícia buscando corpos de bruno e dom na amazônia
Legenda: Os restos mortais de Bruno e Dom foram encontrados próximos a Atalaia do Norte, Amazonas
Foto: Joao Laet/AFP

O Vale do Javari, que abriga a segunda maior terra indígena do País, é uma área conhecida por sua periculosidade devido à atividade de narcotraficantes, pesca e garimpo ilegais.

Phillips, colaborador do jornal britânico The Guardian, estava na região trabalhando em um livro sobre preservação ambiental, guiado por Pereira. 

Pereira era indigenista da Fundação Nacional do Índio (Funai), da qual estava licenciado temporariamente para trabalhar com organizações indígenas em projetos de vigilância de seus territórios.

Seu trabalho lhe rendeu ameaças de morte de grupos criminosos que atuam na região.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil