Caso Henry: advogado deixa defesa de Dr. Jairinho, preso sob suspeita da morte do enteado

Na segunda-feira (12), Monique, mãe da criança, já havia trocado sua defesa

Caso Henry Borel
Legenda: Vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, e a namorada, Monique Medeiros, foram presos sob suspeita da morte do menino Henry Borel, de 4 anos, filho dela
Foto: Reprodução

O advogado André França Barreto anunciou quarta-feira (14) que deixou a defesa do vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, e de sua namorada Monique Medeiros, presos sob suspeita da morte do menino Henry Borel, de 4 anos.

Na segunda-feira (12), Monique, mãe da criança, já havia trocado sua defesa. Passou a representá-la o advogado Thiago Minagé, que disse que a única estratégia será "atuar com a verdade" e que chegou a hora de sua cliente ser ouvida.

Conflito de interesses

Em nota, Barreto afirma que a troca de advogados é o motivo pelo qual deixa a defesa dos dois. Segundo ele, o objetivo é evitar "eventuais conflitos de interesses".

Barreto também diz que o casal sempre alegou inocência e que, por isso, não existia impedimento para a defesa conjunta. Afirma ainda que pautou sua atuação de forma ética.

Babá diz que foi induzida

Em novo depoimento, a babá de Henry, Thayná Ferreira, voltou atrás e admitiu agressões de Dr. Jairinho a Henry. Ela disse que foi induzida por Monique, pela irmã do vereador e por Barreto a mentir na primeira vez em que falou com a polícia, inocentando o casal.

Thayná narrou que foi levada ao escritório de Barreto antes de prestar depoimento e que ele inclusive insistiu para que ela desse uma entrevista a uma emissora de televisão que estava no local.

Segundo a babá, o advogado adiantou as perguntas e disse o que ela deveria responder. Barreto também teria afirmado que ela deveria confirmar as informações em sede policial.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil