Rave com aglomeração é encerrada pela Polícia Civil em Aquiraz

Festa era promovida por meio das redes sociais. Local só era divulgado duas horas antes do início do evento

Legenda: Venda de ingressos e divulgação do evento eram realizadas por meio de redes sociais.
Foto: divulgação/PCCE

Uma festa rave que aconteceria em Aquiraz neste sábado (23) teve sua realização impedida após ação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Cerca de 80 pessoas e dois organizadores do evento estavam no local, que teria a participação de DJs.

Após receberem denúncias, equipes de policiais da Delegacia Metropolitana de Maracanaú (DMM) seguiram para a chácara, com apoio do Departamento de Inteligência (DIP) e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da PCCE. A chácara é localizada na Rua Ecologista Chico Mendes, no bairro Jacundá, em Aquiraz, que integra a Área Integrada de Segurança 13 (AIS 13) do Estado. O cenário tinha iluminação para festas noturnas, piscina e decoração já montada.

Durante as buscas, os policiais encontraram três papelotes de cocaínas e seis trouxinhas de maconha em bolsas de duas pessoas. Ambas disseram que a droga serviria para consumo próprio.

Legenda: Cenário da festa contava com piscina iluminação noturna.
Foto: divulgação/PCCE

Divulgação em redes sociais

A venda de ingressos e a divulgação do evento foram realizadas por meio de redes sociais. Os valores das entradas eram de R$ 50 para mulheres e R$ 70 para homens, e os pagamentos eram realizados por meio de transferência bancária. A festa tinha a localização informada apenas duas horas antes do início do evento.

Festas, shows e outros eventos sociais estão proibidos no Ceará conforme decreto do Governo do Estado. O texto foi publicado na noite da última quinta-feira (21) no Diário Oficial do Estado (DOE). A medida visa a conter a propagação da Covid-19 e o contágio pelo novo coronavírus em território cearense.

Os responsáveis pela rave e os proprietários das drogas foram levados à Delegacia Metropolitana do Eusébio para lavratura dos procedimentos. Dois Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) foram instaurados: um para os organizadores do evento, por crime contra a incolumidade pública, e outro para os donos dos entorpecentes, por uso de drogas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança