Governo do Ceará desapropria terreno para construir hospital de campanha em Itapipoca

O local possui área de 35.115,50 m². Informação foi publicada no Diário Oficial do Estado

terreno
Legenda: O terreno fica na Rua Moésio Loiola e tem 35.115,50 m²
Foto: Maps

O Governo do Ceará ocupará área de 35.115,50 m² pertencente à Fundação Amadeu Filomeno para a instalação de um hospital de campanha no município de Itapipoca, distante 130 Km de Fortaleza. A desapropriação sob a justificativa de utilidade pública foi publicada nesta segunda-feira (8), no Diário Oficial do Estado (DOE). 

O documento informa que caberá à Procuradoria-Geral do Estado intervir pela desocupação do espaço seja por via administrativa ou judicial. As despesas do processo entrarão na conta do Tesouro do Estado. O quantitativo de leitos, previsão para o funcionamento e demais detalhes são estudados pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). 

O terreno a ser ocupado está onde deveria funcionar o hospital regional de Itapipoca. O projeto, que teve quase R$ 20 milhões de recursos federais e R$ 1,6 milhão do Estado, já se arrasta há 29 anos. A obra iniciou em 1992, mas nunca foi finalizada. 

A entidade filantrópica chegou a ser citada em duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) devido a desvios de verbas. Em maio último, no pico da primeira onda da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Itapipoca passou a ocupar parte da estrutura já conclusa, mas, até então, não havia sido utilizada pela população. 

doe
Legenda: Informação consta no Diário Oficial do Estado
Foto: Reprodução

Com esse, será o terceiro hospital adquirido pelo Governo do Ceará para ampliar a rede estadual. O primeiro foi o Leonardo da Vinci, na Capital. Já o segundo foi o Geral de Crateús.

Crise

Itapipoca decretou lockdown no último sábado (6) para reduzir a curva das internações nesta segunda onda da Covid-19. De acordo com a plataforma IntegraSUS, o Município tem 94,12% da ocupação em Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) exclusivas para pacientes adultos com Covid-19. As enfermarias chegaram a 85%.

Desde o início da pandemia, foram 4.342 casos confirmados da doença na Cidade. As mortes somam 135. Os dados foram atualizados pela Secretaria da Saúde às 15h desta terça-feira (9). 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará