Legislativo Judiciário Executivo

Seminário Prefeitos 2024: eleição ainda terá fator humano como maior aliado, aponta especialista

Na visão de Pádua Sampaio, tecnologia ainda não consegue simular as relações humanas e eleição será um desafio para pessoas do marketing político

Escrito por Redação ,
urna eletronica
Legenda: Eleições de 2024 são destaque no Seminário Prefeitos 2024
Foto: Agência Brasil

Convidado da XII edição do Seminário de Gestores Públicos — Prefeitos Ceará 2024, o diretor de criação Pádua Sampaio aponta que as relações humanas irão ditar o tom das eleições municipais deste ano, apesar da emergência da inteligência artificial (IA). Em entrevista ao Diário do Nordeste, o especialista em marketing político, que irá palestrar no segundo dia do evento, nesta terça-feira (18), considera que a tecnologia ainda não consegue simular a conexão criada pelo fator humano. 

Perguntado como lê a aderência da sociedade à tecnologia e a sua utilização no segmento em que atua, o palestrante alegou que o marketing de alguma maneira sempre reflete a questão contemporânea. “Quando a gente fala no tal do Marketing 5.0 os robôs são pensados pela inteligência artificial generativa para humanizar as relações”, esclareceu. 

Veja também

“Estive esse ano na maior feira de varejo do mundo, nos Estados Unidos, e pensei que fosse encontrar muito sobre inteligência artificial, mas encontrei muito sobre relações humanas”, ressaltou Pádua, alegando que essa evidência chamou sua atenção e fez com que construísse outra interpretação sobre o cenário do marketing político.

“Essa eleição, sobretudo no marketing político, ainda vamos ter as relações humanas como um fator muito forte. A tecnologia entrará como um suporte. Mas pensando em cativar o voto do eleitor e conquistar, como o dia a dia dele ainda é muito feito disso e como a tecnologia ainda não conseguiu fazer essa simulação perfeita, ainda teremos o componente humano muito forte”, justificou. 

Na compreensão do entrevistado, que tem mais de 20 anos no mercado de comunicação, essa tendência existe e “vai conversar com o marketing eleitoral, sobretudo nesta campanha”. Ao que destacou, a IA será incorporada ao processo eleitoral a partir de “uma facilitação dos processos”. Entretanto, conforme alertou, “existe um perigo, que já aconteceu em outras campanhas e a inteligência artificial potencializa, que são as fake news”. 

Em fevereiro deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou 12 resoluções para a eleição para prefeitos e vereadores, marcada para outubro. Um dos regramentos regulamentou o uso de inteligência artificial e da chamada deepfake nas campanhas.

Indagado sobre a legislação e os contornos que o horário eleitoral poderá ter, Pádua foi enfático em dizer que há uma possibilidade maior de judicialização, por conta das novidades. “Quando a gente fala de marketing político, estamos falando de uma possibilidade muito grande de litígio. Acredito que nesse primeiro momento o uso da inteligência artificial vai exigir muita cautela, deixando o eleitor ciente do uso da IA”, indicou.

“Essa eleição vai ser um aprendizado, porque vai ser a primeira vez que faremos um uso mais contundente da inteligência artificial, mas ela pode ser objeto de litígio”, finalizou.

Com o tema “Governança Digital e Desenvolvimento Sustentável: Desafios e Melhores Práticas”, o XII Seminário de Gestores Públicos é uma promoção do Diário do Nordeste, Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece) e o Instituto Future. O evento acontece no Centro de Eventos do Ceará e é uma realização da Prática Eventos, com o tem o apoio institucional do Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE-CE), o Instituto Rui Barbosa e o Instituto Plácido Castelo.

Assuntos Relacionados