Raimundo Gomes de Matos é o candidato a vice de Capitão Wagner ao Governo do Ceará

Antes, o ex-deputado federal foi cotado como pré-candidato do PL ao Executivo

Escrito por Jéssica Welma, Kilvia Muniz,

PontoPoder
Raimundo Gomes de Matos ao lado de Capitão Wagner durante a convenção que homologa a chapa
Legenda: Raimundo Gomes de Matos ao lado de Capitão Wagner durante a convenção que homologa a chapa
Foto: Thiago Gadelha

O ex-deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PL) será o candidato a vice na chapa de Capitão Wagner (União Brasil) ao Governo do Ceará. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (5), em coletiva de imprensa do candidato ao Governo, antes da convenção do União Brasil.

"Raimundo Matos, que foi prefeito, que foi vice-prefeito, que foi deputado federal, que foi secretário de assistência social, que foi secretário executivo de saúde e, acima de tudo, tem experiência de gestão e, ao longo de mais de trinta anos de vida pública, nunca se envolveu em qualquer ato que pudesse desabonar a conduta dele. A gente alia a energia, a juventude, a experiência de gestão do nosso amigo Raimundo Matos", disse Capitão Wagner durante a coletiva.

Desde o final de julho, quando o PL anunciou que apoiaria a campanha de Wagner, o nome de Gomes de Matos havia ganhado força como possível indicado a vice. O candidato a vice não participou do momento da coletiva, que contou com a presença do presidente estadual do PL, Acilon Gonçalves. A convenção do partido está prevista para 16 horas.

Na coletiva de imprensa com Capitão Wagner, também foi anunciada Kamila Cardoso (Podemos) como candidata ao Senado. Em 2020, ela foi candidata a vice-prefeita na chapa de Wagner pela Prefeitura de Fortaleza.

Presidente do PL, Acilon Gonçalves, participou da coletiva ao lado de Wagner
Legenda: Presidente do PL, Acilon Gonçalves, participou da coletiva ao lado de Wagner
Foto: Thiago Gadelha

A confirmação do PL como vice do deputado federal fortalece também o espaço do candidato à reeleição na Presidência da República, Jair Bolsonaro (PL). Em julho, durante visita a Fortaleza, Bolsonaro defendeu a união entre os partidos e fez elogios a Wagner.