Ciro e Dilma trocam ataques em rede social após pedetista falar que Lula arquitetou impeachment

Ciro diz que errou ao defender Dilma em impeachment de 2016. Dilma diz que Ciro mente de maneira descarada

montagem com fotos de ciro gomes e dilma rousseff
Legenda: Troca de ofensas entre os políticos foi provocada por entrevista do pedetista ao podcast 'Estadão Notícias'.
Foto: José Cruz/Agência Brasil e Roberto Stuckert Filho

A ex-presidente da República Dilma Rousseff (PT) e o ex-governador do Ceará e pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) têm trocado ataques nas redes sociais. Em postagem publicada na tarde desta quarta-feira (13), Ciro reage a um comentário de Dilma em que a ex-presidente fala que o ex-governador “mais uma vez mente de maneira descarada” ao afirmar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria arquitetado seu impeachment em 2016. 

“Na vida nunca menti. Mas errei algumas vezes. Uma delas quando lutei contra o impeachment de uma das pessoas mais incompetentes, inapetentes e presunçosas que já passaram pela presidência. Claro que estou falando de você, Dilma”, criticou Ciro. 

Dilma, pouco tempo antes, havia alfinetado o pedetista após ele falar em entrevista ao podcast ‘Estadão Notícias’ que Lula conspirou para o impeachment dela em 2016 junto ao presidente do Senado à época, Renan Calheiros (MDB), e ao ex-senador Eunício Oliveira (MDB). 

“O problema, para ele [Ciro], é que usa este método há muito tempo e continua há quase uma década com apenas 1 dígito nas pesquisas”. 

"Encerro esta polêmica estéril por aqui"

Após as últimas mensagens de Ciro, Dilma voltou ao Twitter para rebater pela última vez, segundo ela, o pedetista. "Só Ciro é competente. Este é o pecado de sua enorme presunção. Esta é a sua visão quando se trata de avaliar o resto da humanidade. Mas quando se trata de mulher, sua visão não é só inadequada, é também profundamente misógina", reprovou a petista.

Além disso, Dilma lamentou que Ciro se diga "arrependido de ter defendido a democracia" e acusou o ex-aliado de utilizar "os mesmos argumentos dos golpistas que diz ter combatido". Por fim, nesse aspecto, disse que ele não se difere "em nada" do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "Ambos adoram quando os alvos de suas agressões reagem. Precisam disso para obter likes e espaço na mídia. É disso que se alimentam".

Até a publicação desta matéria, o ex-presidente Lula não havia se manifestado sobre o assunto.