Legislativo Judiciário Executivo

Câmara de Fortaleza aprova moções de pesar por morte de técnica de enfermagem e vítima de chacina

Proposituras foram direcionadas aos familiares de Vanessa Karla Santos de Lima e André Madeira Olivindo Junior

Escrito por Bruno Leite , bruno.leite@svm.com.br
Plenário da câmara
Legenda: Parlamentares aprovaram pedidos nesta terça-feir
Foto: JL Rosa/CMFor

O Plenário da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) aprovou nesta terça-feira (25) duas moções de pesar por vítimas de episódios de violência registrados no Ceará na última semana. Os vereadores da capital cearense deram o aval para proposituras que homenageiam a técnica de enfermagem Vanessa Karla Santos de Lima, vítima de feminicídio na quinta-feira (20), e o jovem André Madeira Olivindo Junior, um dos mortos na chacina que ocorreu em Viçosa do Ceará no mesmo dia.

Veja também

A propositura que demonstrou o pesar do Legislativo a familiares e amigos pela morte de Vanessa foi protocolada pela vereadora Ana Paula (PSB). Ela era colaboradora da Maternidade da Jurema, em Caucaia, onde foi assassinada a tiros. Como pontua o requerimento apresentado à Mesa Diretora da CMFor, a profissional estava no estacionamento da unidade, por volta das 7h30, após o encerramento do expediente.

O suspeito de ter matado a técnica de enfermagem foi o ex-companheiro dela, o soldado da Polícia Militar Paulo Jefferson Silva Soares, que não aceitava o fim do relacionamento com ela. O militar foi preso em flagrante e, na sexta-feira (21), teve a prisão convertida em preventiva. A vítima tinha duas medidas protetivas contra o policial, por conta de perseguições que sofria.

Já a proposição direcionada aos familiares de André foi de autoria de Carlos Mesquita (PDT). Natural de Fortaleza, ele tinha 21 anos, residia no bairro Álvaro Wayne e estava na Praça Clóvis Beviláqua, no Centro de Viçosa do Ceará, quando foi abordado e alvejado por homens que estavam em um veículo. O sepultamento de André aconteceu em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, na sexta.

Além dele, oito pessoas foram baleadas em Viçosa. Sete morreram no local. Na quinta-feira, três pessoas foram detidas em flagrante por envolvimento com o tráfico de drogas na região. Elas foram ouvidas como parte do trabalho investigativo da chacina, mas, no dia da prisão, o secretário de Segurança, Roberto Sá, afirmou que ainda não seria possível confirmar a relação entre os detidos e as mortes.

Na sexta, um homem de 51 anos suspeito de participação na chacina foi preso no Piauí. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), um veículo que teria dado apoio no crime também foi apreendido.

Assuntos Relacionados