Programa Nordeste Leiteiro busca reduzir em 20% custos do pequeno produtor

Iniciativa também tem como meta expandir a atuação desses pequenos produtores cearenses em 20% ao ano

Homem ordenha uma vaca
Legenda: O programa conta com 12 participantes produtores de leite das regiões Centro Sul, Sertão Central e Vale do Jaguaribe em sua primeira fase
Foto: Fabiane de Paula

Criado para profissionalizar a cadeia do leite e modernizar a produção no Ceará, o Programa Nordeste Leiteiro, que teve início esta semana e se estende até o próximo domingo, 1º de agosto, tem como uma de suas metas a redução de 20% nos custos estruturais do pequeno produtor.

Além disso, outro objetivo do programa é fazer com que esse pequeno produtor consiga alcançar uma expansão de 20% ao ano.

Divisão do Programa Nordeste Leiteiro:

  • Mestre Leiteiro: assistência técnica especializada;
  • Escola do Leite: imersão;
  • Mais Leite, Mais Renda: abertura de crédito e fornecimento de insumos com baixo custo para os produtores de leite;
  • Casa do Leite: introdução da tecnologia de Compost Barn;
  • Município Amigo do Leite: com o objetivo de engajar  os municípios nordestinos nesse processo de desenvolvimento para potencializar o apoio ao produtor na ampliação e fortalecimento da cadeia do leite nos municípios.

O programa conta com 12 participantes produtores de leite das regiões Centro Sul, Sertão Central e Vale do Jaguaribe na primeira fase. A iniciativa é da empresa cearense de laticínios Betânia.

Nesta sexta-feira (30), David Girão, presidente do Instituto Luiz Girão, braço social da Betânia, e Carlos Matos, ex-secretário da Agricultura Irrigada do Estado, conduzem as palestras e visitas ao campo.

Na fase inicial, os produtores selecionados participarão de um período de imersão que incluirá palestras técnicas, troca de vivências, visitas à área de produção de silagem e de forragem em sequeiro no Perímetro Irrigado Jaguaribe-Apodi.

"A ideia é promover uma verdadeira revolução na pecuária com a tecnologia Compost Barn, modelo de produção que garante mais conforto aos animais e melhor desempenho na fazenda", afirma David Girão.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios