Feiras retornam na Capital; produtores no interior esperam retomada

Atividade foi liberada pelo Governo em Fortaleza a partir de hoje (14). Associação cobra abertura em outras cidades, destacando que produtores rurais têm dificuldades para escoar produtos perecíveis

Legenda: Feiras devem funcionar com higienização de itens não descartáveis e distanciamento social
Foto: Fabiane de Paula

O novo decreto governamental que trata sobre a flexibilização do isolamento social publicado no último fim de semana trouxe, entre as principais mudanças, a autorização para o funcionamento de feiras ao ar livre em Fortaleza. O presidente da Federação da Agricultura do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, avalia que a produção agrícola rural tem amargado fortemente a interrupção das atividades de feiras e cobrou que a autorização chegue a outros municípios do Estado.

A liberação somente em Fortaleza acaba deixando os produtores de regiões a exemplo de Cascavel e Quixadá ainda à espera de um posicionamento para retomar a venda de produtos que são perecíveis e que, sem possibilidade de escoamento, acabam sendo perdidos. “Elas são essenciais para o pequeno produtor rural”, pontua Saboya. As feiras estavam proibidas em todo o Estado desde 20 de março.

Sobre isso, o secretário executivo de Planejamento e Orçamento da Secretaria do Planejamento e Gestão do Ceará (Seplag-CE), Flávio Ataliba, justificou que, apesar de todo o Estado estar na quarta fase do plano de retomada da economia, a Capital cearense está mais avançada dentro dessa etapa ante as outras cidades.

Durante o isolamento social ao longo dos últimos meses, feiras realizadas descumprindo os decretos anteriores foram fechadas pela Polícia Militar do Ceará, Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) e Guarda Municipal.

Ao reabrirem nesta segunda-feira, as feiras ao ar livre da Capital devem seguir as normas sanitárias com distanciamento social de dois metros, conforme o decreto nº 33.737. Os trabalhadores nas feiras devem utilizar equipamentos de proteção individual (EPIs) e todos objetos não descartáveis devem ser higienizados.

Shoppings

Também a partir desta segunda-feira (14), as lojas nos shoppings da Capital cearense, que até então estavam funcionando de 12h às 22h, poderão voltar a funcionar no horário normal a partir de 10h. A capacidade de público dentro desses empreendimentos também foi ampliada, conforme o decreto, de 30% para 50%.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), Maurício Filizola, lembra que o controle dos indicadores de saúde favorecem a ampliação dessa retomada e que é preciso continuar mantendo a aplicação dos protocolos. 

“Ao mesmo tempo, estamos solicitando a plenitude de serviços, como a volta dos parques infantis dentro de shoppings. Essas empresas que prestam serviços também precisam retomar. Então, estamos vendo com bons olhos, mas é preciso que todos possam continuar com suas atividades”, aponta.

Filizola reforça ainda que o setor do comércio de bens e serviços olha para os próximos meses com a esperança de uma retomada mais plena com manutenção dos empregos. “O comércio é a principal mola propulsora do setor produtivo no País”, arremata.
Apesar da divulgação do decreto no fim da noite de sábado, alguns shoppings da Capital já confirmaram a reabertura a partir de 10h hoje, caso do Shopping Parangaba e Iguatemi e RioMar. Com o novo horário, os empreendimentos retomam o horário que era praticado antes da pandemia.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados