Universidade de Fortaleza é a melhor instituição de ensino superior particular do Brasil

Levantamento realizado pela revista britânica Times Higher Education (THE) avaliou 1.600 universidades de 99 países, sendo 59 brasileiras

Visão área da Unifor
Legenda: A universidade cearense foi a única brasileira a subir na pesquisa britânica, sendo bem avaliada em todos os seus 13 indicadores
Foto: Divulgação

A Universidade de Fortaleza (Unifor), da Fundação Edson Queiroz, é considerada a melhor instituição de ensino superior particular do Brasil, de acordo com levantamento realizado pela revista britânica Times Higher Education (THE). O ranking foi divulgado nesta quarta-feira (1º). 

Ao todo, foram avaliadas 1.600 universidades de 99 países, sendo 59 brasileiras. Dentre elas, Oxford, Instituto de Tecnologia da Califórnia e Harvard.

Para o The World University Rankings, foram examinados 13 indicadores, agrupados em cinco categorias:

  • Ensino;
  • Inovação;
  • Internacionalização.
  • Pesquisa (volume, investimento e reputação);
  • Citações (influência da pesquisa).

Dentre as instituições brasileiras presentes no ranking, somente a Unifor subiu de posição, após ser bem avaliada em todos os critérios da pesquisa. Foram eles:

  • Qualidade de ensino (ambiente de aprendizagem, reputação, desempenho estudantil, número de professores com doutorado, docentes premiados e renda institucional)
  • Volume de publicações de pesquisa
  • Citações em artigos científicos
  • Projeção internacional (número de alunos e de professores estrangeiros)
  • Troca de conhecimento com outras instituições.

A professora Fátima Veras, reitora da instituição, acredita que o desempenho da instituição no Ranking THE 2022 é resultado de ações de fortalecimento da qualidade de ensino, investimentos crescentes em pesquisas científicas e da internacionalização da Unifor.

“Mesmo em contexto de uma das mais graves pandemias, soubemos enfrentar as adversidades e oferecer aos nossos alunos, ao Ceará e ao Brasil não só um ensino superior de qualidade, mas, também, serviços tecnológicos de altíssimo nível”, observa.

Pesquisas de Covid-19 influenciam ranking

Universidades que desenvolveram pesquisas sobre a Covid-19 tiveram melhor desempenho no ranking. A Oxford, primeira colocada pela sexta vez consecutiva, é responsável pelo desenvolvimento da vacina AstraZeneca, uma das principais usadas no combate da doença provocada pelo novo coronavírus.

Outras 19 instituições também se destacaram, segundo a revista, por se tornarem referência no estudo ao vírus causador da Covid-19, sendo 11 delas universidades chinesas.

Unifor no combate à pandemia

No caso da Universidade de Fortaleza, houve elevados investimentos em pesquisas sobre o novo coronavírus, incluindo a participação no consórcio de instituições públicas e privadas brasileiras responsável pelo desenvolvimento do capacete Elmo, referência nacional no tratamento de pacientes com Covid-19.

Além disso, a Unifor lançou, já no primeiro semestre de 2020 um edital de fomento para a realização de pesquisas de combate aos efeitos do novo coronavírus. Dez projetos de pesquisa, abrangendo diferentes áreas do conhecimento, foram selecionados e os seus resultados divulgados no fim do ano passado.

Por meio de recursos financeiros e humanos, a instituição de ensino fortaleceu o Núcleo de Biologia Experimental (Nubex), vinculado à Vice-Reitoria de Pesquisa e responsável por estudos de combate à Covid-19. Com isso, o Nubex foi parceiro do Governo do Estado na realização de exames de diagnóstico do novo coronavírus.

A Unidade de Diagnóstico Molecular de Covid-19, instalada em maio de 2020 no Nubex e formada por pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas da Unifor, realizou, até outubro do ano passado, 6.444 mil testes diagnósticos da doença, atendendo 12 unidades de serviço de saúde do Estado, e beneficiando pacientes de 162 municípios cearenses. 

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab