Reabertura das escolas deve ser prioridade de prefeitos, pede Unicef em carta para gestores do País

O texto cita os impactos do fechamento das instituições de ensino sobre a aprendizagem, a saúde mental e a proteção social dos alunos

O retorno de crianças e adolescentes ao ambiente escolar presencial é classificado como “de alta prioridade” pelo poder público no Ceará
Legenda: O retorno de crianças e adolescentes ao ambiente escolar presencial é classificado como “de alta prioridade” pelo poder público no Ceará
Foto: Fabiane de Paula

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) divulgou nesta quinta-feira (7) carta aos prefeitos eleitos em 5.568 municípios para pedir que eles priorizem a reabertura das escolas neste início de ano.

O texto, assinado pela representante do órgão no Brasil, Florence Bauer, cita os impactos do fechamento das instituições de ensino sobre a aprendizagem, a saúde mental e a proteção social dos alunos.

"Apesar dos esforços para organizar atividades remotas para continuidade das aprendizagens, milhões de crianças e adolescentes não foram alcançados e perderam o vínculo com a escola. Elas e eles correm o risco de abandonar a educação definitivamente. Isso vai aprofundar ainda mais as desigualdades e impactar uma geração inteira", diz a carta.

Risco de contaminação nas escolas

O texto menciona ainda o medo de famílias e professores de contaminação no ambiente escolar, mas cita que a experiência em outros países não demonstra isso.

O argumento é utilizado também por um movimento organizado por pediatras, que defendem que é possível reabrir o setor educacional com segurança para as crianças, uma vez que são menos propensas a desenvolver a forma grave da Covid-19 e não são, como se pensava no início, grandes transmissoras do vírus.

Adaptação à situação local

O Unicef defende que a forma de reabertura seja adaptada à situação local, incluindo a possibilidade de uma modalidade híbrida de ensino, em parte presencial e em parte a distância.

Relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) divulgado em setembro mostrava que, naquele momento, o Brasil já estava há mais tempo com escolas fechadas do que a maioria dos países desenvolvidos.

Desde então, apenas uma minoria das escolas reabriu em grandes cidades.

Retomada de aulas presenciais no Ceará

Representando cerca de 1% de contágio por Covid-19, escolas de Fortaleza terão reabertura ampliada em 2021, de acordo com o titular da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Dr. Cabeto. O retorno de crianças e adolescentes ao ambiente escolar presencial é classificado como “de alta prioridade” pelo poder público no Ceará.

Além disso, 34 das 728 escolas da rede pública estadual do Estado estão ofertando aulas presenciais com conteúdos direcionados ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que ocorrerá em 17 e 24 de janeiro. A informação foi confirmada, nesta semana, pela Secretaria Estadual da Educação (Seduc).  O número de instituições reabertas para esta atividade presencial específica corresponde a 4,67% do total das unidades da rede estadual.  

Na Europa

Nesta semana, o Reino Unido decidiu fechar novamente as escolas, com exceção das que atendem crianças vulneráveis, para conter a disseminação de uma cepa mais transmissível do coronavírus. Já a França decidiu reabri-las para todos os alunos do sistema público.

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab