Metade dos pais no Nordeste passaram a participar mais da educação dos filhos durante a pandemia

Dados compõem a quarta rodada de uma pesquisa que acompanha a aprendizagem remota durante a pandemia de Covid-19 no Brasil

Pesquisa mostra que pais se sentem mais responsáveis e estão participando mais da educação dos filhos durante a pandemia de Covid-19.
Legenda: Pesquisa mostra que pais se sentem mais responsáveis e estão participando mais da educação dos filhos durante a pandemia de Covid-19.
Foto: Camila Lima

Devido à pandemia de Covid-19, o que antes era papel quase que exclusivo das escolas e dos professores passou a ser, também, das famílias.No Nordeste, por causa das aulas remotas, 47% dos pais e responsáveis estão, hoje, participando mais da educação dos estudantes. 76% deles também consideram que sua responsabilidade agora é maior do que antes da pandemia.

No Brasil, pais e responsáveis consideram mais importante na educação remota:

  • Para 89%, receber orientações da escola sobre como apoiar os estudantes para fazerem as atividades;
  • Para 88%, receber sugestões para motivar os estudantes a participarem das atividades;
  • Para 87%, receber informações regulares sobre como está evoluindo o aprendizado;
  • Para 80%, receber orientações da escola para ajudar no uso dos recursos tecnológicos;
  • Para 67%, ter um grupo de pais ou responsáveis para trocar ideias e experiências.

Os dados compõem uma pesquisa divulgada recentemente pelo Datafolha, encomendada pelos institutos Fundação Lemann, Itaú Social e Imaginable Futures. 

Segundo a gerente de Pesquisa e Desenvolvimento do Itaú Social, Patrícia Mota Guedes, os dados podem ser úteis para embasar estratégias do poder público para otimizar e explorar o potencial das famílias na formação dos estudantes. 

“Famílias estão acompanhando mais de perto o ensino para seus filhos, e valorizando ainda mais o papel central do professor. São transformações que vêm para dar mais força a iniciativas de valorização da profissão docente, assim como da parceria família-escola”, compreende a pesquisadora. Ainda de acordo com o estudo, após as aulas remotas, 71% dos pais passaram a valorizar mais o trabalho dos professores em sala de aula. 

Merenda escolar faz falta para 52% dos estudantes da Região

Mas a pandemia também repercutiu em outros aspectos da vida dos alunos e de seus responsáveis. 

A falta da merenda escolar, por exemplo, está pesando no orçamento das famílias. As refeições, antes oferecidas pelas instituições de ensino, estão fazendo falta para 52% dos estudantes da região Nordeste. O percentual fica acima do verificado no Brasil (42%).

Para 68% dos pais no NE, aulas remotas são eficientes no aprendizado

Apesar das dificuldades de acesso e da necessidade de adaptação imediata por parte dos alunos e professores, o modelo de ensino vem sendo bem avaliado.

No Nordeste, 68% dos pais e responsáveis consideram as aulas remotas eficientes no aprendizado dos estudantes. O percentual é menor que a média nacional, de 64%. Que também não deixa de ser alta, tendo em vista que somente 36% dos estrevistados avaliam o ensino remoto como ineficiente.

Pesquisa

As informações da pesquisa foram coletadas com 1.021 pais ou responsáveis de estudantes das redes públicas municipais e estaduais de todo o País, com idade entre 6 e 18 anos, entre os dias 16 de setembro e 2 de outubro.

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab