Com o retorno das aulas presenciais, quais vacinas para crianças precisam estar em dia?

Entre março até julho, coberturas vacinais tiveram queda de quase 50% em Fortaleza, conforme coordenadora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS)

Legenda: Médica pediatra e diretora da Clínica “Previne Vacinas” relembra importância de outros grupos também estarem atento aos calendários de vacinação, como idosos e gestantes
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Com o retorno gradual das atividades escolares presenciais, especialistas apontam a importância de redobrar os cuidados com a atualização das cadernetas das vacinas infantis. Conforme a coordenadora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Vanessa Soldatelli, as vacinas na infância são fundamentais para garantir proteção e imunidade durante a idade adulta. No entanto, entre março a julho, acrescenta que a capital cearense apresentou queda de aproximadamente 50% nas coberturas vacinais.

“Já estamos vivendo uma situação bem difícil por conta da Covid-19, então a gente não quer que as crianças adoeçam por outros motivos. Para isso, precisam estar vacinadas antes de retornar para a escola”, orienta Vanessa. Confira quais vacinas precisam estar reguladas para a volta gradual das atividades escolares presenciais, segundo a coordenadora:

Para bebês menores de 1 ano: 

  • BGC-ID: previne formas graves de tuberculose
  • Hepatite B
  • VORH: vacina oral contra rotavírus humano, que previre diarréia em decorrência da doença
  • Pneumocócica 10-valente: previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo pneumococo

A partir de 1 ano:

  • Tríplice Viral (SRC): previne sarampo, caxumba e rubéola
  • Meningocócica C: previne meningite e infecção generalizada pela doença

Adolescente

  • HPV: previne o papiloma, vírus que pode causar câncer e verrugar genitais
  • Meningocócica ACWY: previne a doença causa por bactérias 

Em todos os casos, a coordenadora aponta a importância de estar atento ao retorno das vacinas, atualizando as que precisam ser tomadas em mais de uma dose. 

Para a pediatra Vanuza Chagas, apesar de haver um maior foco nas crianças, devido ao retorno das aulas, outros grupos também devem buscar estar em dia com os calendários de vacinas. Dentre esses, ela aponta os idosos e as gestantes como grupo de risco para a Covid-19.

Ações de vacinação

Em setembro, até dia 30, a campanha da influenza foi prorrogada para toda a população, atendendo não só aos grupos prioritários, como também ao público em geral. De acordo com Vanessa Soldatelli, todas as vacinas estão disponíveis em postos de saúde da capital, atendendo aos sábados, domingos e feriados.

Em outubro, até o final do mês, também ocorrerá a vacinação contra sarampo. Além disso, haverá a campanha de multivacinação, visando resgatar essas crianças que estão com a vacinação em atraso, em decorrência também da pandemia.

 

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab