Médico previu desabamento em Capitólio há dez anos: "risco era iminente"

Pelo menos oito pessoas perderam a vida. Ainda há desaparecidos.

Legenda: Médico fez postagem há quase uma década alertando sobre o possível desabamento
Foto: Reprodução/Instagram

Há quase dez anos, o médico Flávio Freitas, 52, previu o desabamento da rocha em Capitólio (MG). Era março de 2012 quando, ao passar de barco pelo cânion, uma enorme fenda chamou sua atenção. O registro foi feito em suas redes sociais alertando para o risco da queda.

"Ela me chamou a atenção pelo tamanho, extensão. Eu tirei uma foto e comentei: 'essa pedra vai cair'", lembrou ele, ao Folha de São Paulo. Quando passaram a circular os vídeos sobre o acidente na cidade mineira neste sábado (8), mostrando um cânion caindo sobre lanchas de turistas, Freitas não teve dúvidas.

"Reconheci que era o mesmo local onde eu tinha tirado a foto", diz ele.

O episódio deixou ao menos oito mortos, informou o Corpo de Bombeiros do estado. Há ainda duas pessoas consideradas desaparecidas. O médico afirma conhecer bem a região e reconhece que aquele local é muito procurado pelos turistas.

Quando comparado as imagens feitas por Flávio e as gravadas ontem (8) pelos turistas, percebe-se que a única diferença é em relação aos ângulos dos vídeos e à altura da água, que na época era maior.

Risco iminente

Para ele, não era preciso ser geólogo para reconhecer o problema. "Com certeza, era uma falha geológica que tinha o risco de queda iminente. Passaram quase dez anos para que acontecesse", diz.

Assim que notou que também havia feito um post com o assunto, ele tornou a foto pública em seu álbum do Facebook. A imagem, então, viralizou. Na noite de domingo, a imagem tinha 59 mil compartilhamentos.

" Demorou... Mas um dia cumpriu seu destino. Uma pena que foi na hora errada para algumas pessoas", escreveu uma pessoa no post. "Infelizmente aconteceu, caiu", disse outro.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil