Variante indiana do coronavírus é mais transmissível, aponta OMS

Cientista-chefe da entidade disse que, até onde se sabe, vacinas são eficazes contra a nova cepa

Coronavírus atacando células em imagem de microscópio
Legenda: A variante foi atribuída como um dos motivos para a explosão de casos no país indiano
Foto: NIAID

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (10), que a variante do B.1617 do coronavírus, originada na Índia, tem capacidade de transmissão maior do que a cepa original do agente infeccioso.

A líder técnica da resposta à pandemia de Covid-19 da entidade, Maria Van Kerkhove, indicou que os dados são preliminares.

Segundo a cientista-chefe da OMS, Sumya Swaminathan, as vacinas e os tratamentos disponíveis contra a Covid-19 e tratamentos disponíveis são, até onde se sabe, eficazes contra casos da cepa indiana. No entanto, ela ressaltou que as evidências ainda são recentes — é importante "dar tempo" para que mais dados sobre a variante B.1617 sejam coletados e analisados.

A variante foi atribuída como um dos motivos para a explosão de casos no país indiano nas últimas semanas. Especialistas já haviam alertado para a transmissão de uma cepa mais contagiosa, mas o governo local não adotou medidas mais restritivas para conter o avanço da proliferação do vírus.

Situação global da Covid-19

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, informou que os casos e mortes globais pela doença atingiram um platô, com declínios na América Latina, "uma das regiões mais atingidas pela pandemia".

Apesar disso, o diretor-geral da entidade pontuou que as taxas de confirmações e mortes por Covid-19 seguem "inaceitavelmente altas", alertando, também, para a possibilidade de novas ondas de transmissão.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo