Merck pede autorização nos EUA para uso emergencial da pílula contra a Covid-19

Estudos já mostraram que o molnupiravir mostrou eficácia de quase 50% na redução dos riscos de internações e mortes pela doença

Comprimidos de Molnupiravir, da Merck
Legenda: O molnupiravir, da Merck, teve resultados promissores contra a Covid-19
Foto: Divulgação / Merck & Co.via AP

O laboratório americano Merck Sharp & Dohme (MSD) anunciou, nesta segunda-feira (11), ter solicitado autorização de uso emergencial do medicamento via oral contra a Covid-19, o molnupiravir, nos Estados Unidos. 

Em comunicado, a empresa informou que apresentou o pedido para "um medicamento antiviral oral experimental, para o tratamento de Covid-19 de leve a moderada em adultos que estejam em risco de avançar para Covid-19 grave e/ou internação", disse a empresa, em um comunicado.

A Merck acrescentou que trabalha "com agências reguladoras do mundo todo para submeter solicitações de uso emergencial, ou autorização de comercialização, nos próximos meses".

Resultados

No último dia 1º, a farmacêutica Merck anunciou que remédio desenvolvido contra a Covid-19 mostrou eficácia de quase 50% na redução dos riscos de internações e mortes pela doença. O molnupiravir foi testado em pacientes adultos que apresentaram sintomas leves a moderados do coronavírus.

No estudo, o medicamente diminuiu a chance de hospitalização ou morte em quase 50%, e 7,3% dos pacientes testados foram internados ou morreram, segundo a Merck. A farmacêutica americana afirmou que deixará de recrutar mais voluntários devido aos resultados positivos, após consultar órgãos reguladores.

O comprimido foi desenvolvido pela Merck em parceira Ridgeback Biotherapeu.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo