Agência europeia aprova vacina da Pfizer contra Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos

Imunizante da farmacêutica americana já é aplicado em crianças dos EUA, Canadá e Israel

pfizer em crianças
Legenda: Canadá aderiu a imunização de crianças nessa quarta-feira (24)
Foto: Andrej Ivanov/AFP

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou nesta quinta-feira (25) a vacina da Pfizer contra a Covid-19 para crianças com idades entre 5 e 11 anos. 

Segundo o órgão, painel de especialistas "recomendou ampliar a indicação da vacina Comirnaty para incluir as crianças de entre 5 e 11 anos", afirmou a agência, ao citar o nome comercial do imunizante.

Na última segunda-feira (22), a Pfizer anunciou que a vacina permanece "100%" eficaz em adolescentes de 12 a 15 anos de idade mais de quatro meses após a segunda dose. O resultado foi obtido em um ensaio clínico feito com base em mais de 2.200 menores de 12 a 15 anos, entre novembro de 2020 e setembro de 2021,

Os participantes foram avaliados por pelo menos quatro meses após a segunda injeção. Entre os adolescentes que receberam o placebo, houve 30 casos de covid-19 e nenhum no grupo vacinado, ou seja, foi 100% eficaz contra os casos sintomáticos da doença.

Além disso, "nenhuma preocupação séria de segurança foi observada entre os indivíduos com pelo menos seis meses de acompanhamento", acrescentou a gigante farmacêutica. 

Vacinação em massa de adolescentes

A vacinação contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos começou nessa quarta-feira (24) no Canadá, que segue a linha de Estados Unidos e Israel de reduzir a idade de acesso às vacinas para combater a pandemia.  

Israel iniciou na noite de segunda-feira (22) a campanha de vacinação para crianças de 5 a 11 anos, seguindo o exemplo de países como Estados Unidos e Áustria, que lutam para conter repiques da pandemia.

Pioneiro, os Estados Unidos começaram a vacinar crianças entre 5 e 11 anos de idade contra a Covid-19 ainda no dia 2 de novembro após a autorização final do imunizante da Pfizer-BionTech para essa faixa etária.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo