Travesti cearense foi morta após cliente se recusar a pagar preço maior por programa, em São Paulo

A briga, que vitimou Kareen Victoria, teria começado por uma divergência no valor, segundo informações da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo

Kareen Victoria
Legenda: Kareen Victoria morava em São Paulo desde agosto, e pretendia voltar ao Ceará em 20 dias
Foto: Arquivo pessoal

O homicídio de Kareen Victoria, a travesti cearense morta em São Paulo, foi motivado por uma divergência na cobrança do valor do programa ao suposto cliente, apontado como o principal responsável pelo óbito. A discussão, que vitimou a cearense, começou depois que o homem, que tem 27 anos, se recusou a pagar a mais por um programa, conforme o boltim de ocorrência registrado na Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP).

O caso aconteceu na manhã da última quarta-feira (9), no bairro Vila Nova Cachoeirinha, localizado na zona norte da capital paulista. De acordo com a SSP, a Polícia Militar foi acionada, por volta de 12h40, para atender à uma ocorrência de desentendimento envolvendo três pessoas (Kareen, a amiga dela e o gressor), em um hotel na Avenida Parada Pinto. 

Ao chegar no endereço, os policiais já encontraram a vítima caída no chão desacordada, além da amiga de Kareen e o homem com escoriações pelo corpo. A Secretaria informou que as agressões físicas começaram após o o homem de 27 anos se recusar a pagar por um valor diferente ao que tinha sido previamente combinado.

A SSP explicou ainda que uma funcionária do hotel disse à PM que as mulheres realizavam o checkout na recepção, no momento em que o indiciado chegou e as acusou de terem furtado o aparelho celular dele. A cearense e a amiga negaram a acusação, e exigiram que o suposto cliente pagasse pelo serviço contratado. 

Instantes depois, os três envolvidos começaram a se agredir. Kareen foi empurrada e, de acordo com os outros envolvidos, bateu a cabeça na parede e caiu desmaiada. Segundo a secretaria, outro funcionário do hotel foi chamado para tentar controlar a briga.

A polícia encontrou o celular do agressor em uma das bolsas que as mulheres carregavam. O Samu se dirigiu ao local do crime, e constatou o óbito da cearense.

A amiga de Kareen e o homem de 27 anos foram presos em flagrante e levados até a delegacia distrital. A SSP garantiu que exames periciais foram solicitados. No boletim de ocorrência, registrado no 38º DP (no bairro Vila Amalia), consta os crimes de homicídio, furto e lesão corporal.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança