PM analisa casos de militares de licença por suspeita do coronavírus

O número de policiais militares afastados não foi informado. Ministério Público recomendou que o Comando da Polícia Militar do Ceará e do Corpo de Bombeiros Militar apresentem plano de combate ao Covid-19

Legenda: Os PMs estão diariamente nas ruas e precisam de proteção contra o novo coronavírus
Foto: Foto: Helene Santos

O Comando Geral da Polícia Militar do Ceará (PMCE) está acompanhando casos de policiais militares que estão de licença médica por apresentar problemas ligados à síndromes respiratórias e, consequentemente, precisarem se manter em isolamento, sob a suspeita de terem sido infectados pelo novo coronavírus. Até o momento, não há informações sobre quantos servidores da Corporação foram afastados por estas condições.

Conforme o comandante-geral da PMCE, coronel Alexandre Ávila, "não há comprometimento de policiamento no Ceará devido aos afastamentos". Ávila destaca que a Coordenadoria de Saúde e Assistência Social e Religiosa da PMCE também está responsável por acompanhar os policiais que, por algum problema de saúde, integram o grupo de risco para o Covid-19.

No último sábado (28), o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da Promotoria de Justiça Militar e Controle Externo da Atividade Policial Militar, emitiu documento com recomendações aos comandos da PM e do Corpo de Bombeiros para que fossem apresentados um plano de combate ao novo coronavírus no âmbito das instituições militares.

De acordo com o MPCE, o objetivo maior da medida é garantir a saúde dos profissionais, das famílias deles e evitar uma possível redução do efetivo operacional durante a pandemia. No documento foi dito aos comandos que o plano é para garantir "a higidez dos militares estaduais em atenção aos princípios de prevenção e proteção ao direito constitucional à saúde, atentando-se para abarcar eficientemente aqueles militares que componham grupos de risco, assim definidos pelas autoridades sanitárias".

Medidas

O titular da Promotoria da Justiça Militar, Sebastião Brasilino de Freitas, afirmou que a recomendação do MPCE veio após o órgão receber reclamações pontuais por parte de militares que não se sentiam devidamente protegidos em meio à pandemia. No documento, o Ministério ainda destacou a necessidade disponibilizar máscaras, álcool em gel e avaliar a concessão de dispensar e afastamentos dos serviços para os militares estaduais, principalmente aos que pertencem ao quadro de saúde da Corporação.

"Todos estão expostos à isso. Agora, essa diretriz cabe aos comandos. Nós recomendamos, requisitamos, mas não somos nós quem executamos. Há uma sintonia de todo o MPCE para minimizar os efeitos desta pandemia", disse o promotor.

De acordo com Alexandre Ávila, desde o dia 17 de março a Polícia Militar do Ceará adotou um plano de contingência. O coronel explica que os policiais estão recebendo orientações por meio do Boletim do Comando Geral e redes sociais oficiais da PMCE.

"O plano está pronto e sendo seguido. Primeiro, estão sendo distribuídos material de proteção aos PMs da Capital. Aguardamos chegar mais material, como máscara e luvas. A higienização das viaturas já era uma coisa feita rotineiramente. Já percebemos menor movimentação nas ruas, mas ainda há aglomerações na área da periferia. O atestado não está sendo exigido e vem sendo feito um acompanhamento do policial à distância, sendo sempre verificado o estado de saúde deste servidor", destacou Ávila.