Mais de uma tonelada de droga é apreendida em carros ligados a cearenses presos em operação no Pará

Policiais civis localizaram a documentação do automóvel, além de um manual e uma chave reserva do veículo, no apartamento em que os alvos da operação se encontravam, em Belém

Carros com drogas apreendidas no Pará
Legenda: Local em que os os veículos e a droga foram apreendidos é supostamente o mesmo indicado em recibo encontrado em apartamento no qual os presos estavam.
Foto: divulgação/Polícia Civil

Uma carga de 1,150 tonelada de drogas descoberta no sábado (20), em Bujaru, no nordeste do Pará, tem relação com dois cearenses presos na última terça-feira (16) em operação deflagrada no Ceará e no estado paraense. Eles são apontados como chefes de uma organização criminosa que buscava se estabelecer no estado do Norte e foram capturados no âmbito da Operação Guilhotina, informou a Polícia Civil do Ceará (PCCE) nesta segunda-feira (22).

Os policiais civis localizaram a documentação da caminhonete, além de um manual e uma chave reserva do veículo, no apartamento em que os alvos da operação se encontravam, em Belém (PA), e confirmaram a ligação com os presos. No imóvel, também foi encontrado um recibo de sinal de compra de um terreno, localizado em Sítio Castanhalzinho, em Bujaru. Segundo a Polícia, o local é supostamente o mesmo em que os veículos e a droga foram apreendidos.

A carga, armazenada em um Mitsubishi Pajero Dakar com placa do Ceará e em um Fiat Strada com placa paraense, era de uma substância semelhante à cocaína e pedras de oxi, sendo acondicionada em mais de mil tabletes. Durante a apreensão, a Polícia chegou a trocar tiros com três suspeitos que estavam próximos a um dos carros com a droga, segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Pará (Segup).

Carro com drogas no Pará
Legenda: Durante a apreensão da carga, a Polícia chegou a trocar tiros com três suspeitos que estavam próximos a um dos carros com a droga.
Foto: divulgação/Polícia Civil

Agora, a PCCE tenta comprovar se as duas cargas são de propriedade do mesmo alvo e se seriam enviadas para território cearense. A investigação será conduzida pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), da PCCE, e pela Corodenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS). "Tentar compreender o fenômeno de onde vem essa droga, para onde iria e qual a frequência desse tráfico", ressaltou delegado Harley Filho, titular da Draco.

O delegado também indicou que as lideranças saíram do Rio de Janeiro em direção ao Pará no mês passado com o intuito de estabelecer moradia. Eles têm, continua, uma "atuação no estado do Ceará e também estão tentando controlar uma comunidade no Rio de Janeiro", local em que há uma guerra pela disputa do tráfico. A movimentação até o Pará se deu por este ser um "local neutro", no qual eles poderiam controlar a aquisição e a remessa das drogas.

Prisão de lideranças

A operação conjunta das Polícias Civis do Ceará e do Pará prendeu a liderança de uma facção criminosa e apreenderam cerca de 600 quilogramas (kg) de drogas em Belém na última terça-feira (16). Na ocasião, foram cumpridos três mandados de prisão dos faccionados, que estavam em um apartamento de luxo no qual havia drogas como crack e cocaína.

Além dos entorpecentes, foram apreendidos R$ 25 mil em espécie. Apesar de os mandados terem sido cumpridos na capital paraense, as drogas estavam em Benevides, município da Região Metropolitana de Belém.

"Fomos mapeando toda a estrutura criminosa a ponto de fazermos algumas prisões, de setembro até fevereiro, culminando com a deflagração dessa grande operação, da prisão dessas duas lideranças", afirmou o titular da Draco, acrescentando que outras 12 pessoas foram presas no dia 16 e que a carga, de 1.783 kg, é a maior apreensão de drogas pela Polícia Civil no Brasil em 2021.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança