Jovem sobreviveu à chacina com cinco mortes em Quiterianópolis após sofer tiro na perna

Depois de levar o tiro, sobrevivente ficou caído ao chão e em seguida buscou ajuda de vizinhos

Legenda: Segundo a testemunha dentro da casa no momento da execução estavam cerca de dez pessoas
Foto: Wandenberg Belém

Um jovem baleado na chacina ocorrida na tarde deste domingo (18), dentro de uma casa, em Quiterianópolis, a 410 quilômetros de Fortaleza, foi um dos sobreviventes do crime. Os assasinatos aconteceram no início da tarde deste domingo (18), na rua Manuel Vieira de Carvalho, no Centro da cidade.

Uma testemunha que conversou com o jovem afirmou ao Sistema Verdes Mares que ele estava no alpendre da casa quando os bandidos pediram para todos deitarem no chão para, em seguida, efetuar os disparos.

Depois de ser atingido na perna, o jovem afirmou para a testemunha que ficou caído no chão. Em seguida, ele buscou ajuda de vizinhos.

A testemunha foi uma das três pessoas que conversaram na manhã desta segunda-feira (19) com o delegado de Quiterianópolis, Adriano Queiroz. Segundo informações do delegado, após as investigações iniciais, foram apreendidas armas e um aparelho celular de uma das vítimas.

A testemunha afirmou também que, dentro da casa, no momento da execução, estavam cerca de 10 pessoas. Os criminosos invadiram o local armados e encontraram José Reinaque Rodrigues de Andrade, 31 anos, no quintal, e Antônio Leonardo Oliveira Silva, 19 anos, na cozinha. Em seguida, ordenaram que os dois fossem para fora e os executaram junto com outras três pessoas. Na manhã desta segunda, ainda havia marcas de sangue pelo chão e de tiros nas paredes. 

Legenda: Marcas de tiros na parede da residência onde aconteceu a chacina
Foto: Wandenberg Belém

Irineu Simão do Nascimento, 25 anos, tinha antecedentes criminais por roubo e associação criminosa, e Reinaque respondia por roubo e era monitorado por tornozeleira eletrônica.

Os outros três mortos, segundo a SSPDS, não possuíam antecedentes criminais. Além de Leonardo, eles foram identificados como Etivaldo Silva Gomes, 23 anos e Gionnar Coelho Loiola, 31 anos. 

Dentista

Gionnar Coelho Loiola, de 31 anos, era cirurgião-dentista, morava e trabalhava na cidade de Novo Oriente, segundo informações do irmão dele, o jornalista Nathan Loiola. Segundo o familiar, Gionnar tinha ido a Quiterianópolis para um almoço.

Segundo a SSPDS, reforços da Polícia Civil, da Polícia Militar e uma aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) foram enviados para auxiliar nas diligências que têm o intuito de capturar os responsáveis pelos crimes. Os quatro suspeitos fugiram e não foram identificados. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança