Adolescente é morto em casa por PMs em Chorozinho; família relata invasão e policiais falam em arma

O clima ficou tenso na cidade, com protesto e comércio fechado

Legenda: Ruas do município ficaram vazias e comerciantes não abriram seus estabelecimentos em dia de tensão após a morte do adolescente
Foto: Rafaela Duarte/SVM

Um adolescente de 13 anos morreu dentro de casa ao ser atingido por disparos de arma de fogo em uma intervenção polical registrada na madrugada desta quarta-feira (1º), em Chorozinho, na Região Metropolitana de Fortaleza. Familiares da vítima dizem que PMs invadiram a casa, mandaram que todos saíssem e atiraram contra o rapaz que dormia no quarto. A polícia relata que o adolescente estava armado e foi baleado por não obedecer a ordem para soltar o revólver.

Além de causar tensão e revolta na cidade, a morte do jovem motivou protesto de moradores, que chegaram a queimar pneus e troncos de madeira no Km 70 da BR-116, bloqueando totalmente o tráfego por cerca de uma hora. A pista já foi liberada, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). No Centro do município, comerciantes fecharam as portas e as ruas ficaram vazias e quase sem movimentação. 

A Secretaria da Segurança Pública informou, por meio de nota, que Mizael Fernandes da Silva, sem antecedentes criminais, foi morto a tiros por intervenção da polícia e que inquérito foi instaurado na Delegacia Municipal de Eusébio, unidade plantonista, e transferido pra Chorozinho, que apura as circunstâncias do homicídio. 

Casa foi invadida por PMs na madrugada, diz família

Um dos familiares que presenciou a abordagem da polícia, relatou que houve violência na ação durante a invasão, que ocorreu no início da madrugada. No relato, a testemunha diz que a vítima estava dormindo no quarto quando foi assassinada.

"Por volta de 1h45 para 2h eles chegaram arrombando o portão da nossa casa dizendo que era a polícia e minhã mãe abriu e permitiu a entrada deles. Saímos e avisamos a eles que meu primo estava dormindo no quarto, quando escutamos os tiros. Mandaram a gente ir pro outro lado da calçada. Eles disseram que meu primo estava armado, mas isso não é verdade. Levaram meu primo, jogaram no carro e saíram como se ele fosse um bandido grande". 

De acordo com uma prima de Mizael, o menino era calmo e vivia de ir na casa do pai e para uma escola municipal localizada no Distrito de Patos. Para ela, a morte do jovem interrompeu sonhos e tem que ter uma resposta das autoridades.

"Ele era só um criança calma, tranquila, vivia de casa para a escola e da escola para casa. Ele foi morto por pessoas que deveriam protegê-lo. O sonho dele acabou. Agora só queremos justiça", finalizou. 

O Sistema Verdes Mares solicitou resposta à SSPDS sobre a denúncia da família e aguarda retorno.

Policiais dizem ter visto jovem com arma

Policiais do Comando Tático Rural (Cotar) que estiveram na ocorrência registraram em um relatório ter recebido a informação de que em uma casa na localidade de Triângulo estava uma pessoa responsável por vários crimes na região, como furto, homicídio e assaltos.

De acordo com o relatório, de posse das informações, os agentes se dirigiram até o local e cercaram a casa. Eles foram recebidos na porta por um casal e dois jovens que negaram haver mais alguém dentro do imóvel, entretanto ao entrar no local e realizar buscas, os PMs encontraram o adolescente com um revólver dentro do quarto. 

Ele não obedeceu a ordem dos agentes para que soltasse a arma o que levou os policiais a realizaram os disparos de arma de fogo. A vítima foi socorrida para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. No documento, há ainda a informação da apreensão de um revólver calibre 38 com capaciadade para seis cartuchos, dos quais cinco se encontravam intactos.


Assuntos Relacionados