Relatório da CPI da Covid "com certeza" pedirá indiciamento de Jair Bolsonaro, diz Renan Calheiros

Documento final da comissão será votado e apresentado na segunda quinzena deste mês para que em seguida o Ministério Público decida sobre os indiciamentos

bolsonaro indiciado na cpi da covid
Legenda: O presidente e pessoas que estiveram no gabinete paralelo serão responsabilizadas, afirmou o relator
Foto: Marcos Corrêa/PR

O relatório final da CPI da Covid, que apura a atuação do Governo Federal na crise sanitária, "com certeza" pedirá o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro. A declaração foi dada na manhã desta terça-feira (5) pelo senador e relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

"Com certeza será [indiciado]. Nós não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório. Ele com certeza será, sim, pelo o que praticou", confirmou o senador em resposta a jornalistas ao chegar na comissão.

O documento deve ser apresentado e votado na segunda quinzena deste mês. Se aprovado pela CPI, ele será encaminhado ao Ministério Público, órgão que acatará ou não os pedidos de indiciamento.

Outros indiciados

Além do atual mandatário, Renan Calheiros informou que estarão também entre os indiciados “aquelas pessoas que tiveram participação efetiva no gabinete paralelo, no gabinete do ódio e todos aqueles que tiveram responsabilidade no desvio de dinheiro público e da roubalheira”.

“Essas pessoas serão responsabilizadas. Nós utilizaremos os tipos penais do crime comum, do crime de responsabilidade, do crime contra a vida, do crime contra a humanidade e estamos avaliando com relação a indígenas a utilização do genocídio”, complementou o relator.