Marinho e Hypérides estudam Tocantins

Está o Ceará no limite de suas reservas hídricas. Neste ano, segundo prevê a Funceme, há apenas 10% de chance de uma estação chuvosa acima da média histórica; 40% de uma estação normal; e 50% de ela ser abaixo da média. Isto quer dizer que é reduzidíssima a possibilidade de serem bem recarregados os três grandes açudes do Estado - Castanhão, Orós e Banabuiú - cujos espelhos-d'água não passarão de 20% de sua capacidade de armazenamento ao fim da temporada que se encerrará em abril. É uma péssima notícia para a agropecuária da região do Baixo Jaguaribe, onde se localizam importantes polos de produção de leite bovino, de camarão e de frutas.

Assim, torna-se urgente que o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) retome o fornecimento de água do Projeto São Francisco de Integração de Bacias para o Cinturão das Águas do Ceará (CAC), através do qual chegarão ao açude Castanhão. Esse fornecimento está suspenso há dois meses. Toda a água do Eixo Norte está sendo dirigida para o Estado da Paraíba, onde vários açudes construídos pelo MDR - com capacidade estimada em 500 milhões de metros cúbicos - terão de ser enchidos antes que chegue ao Rio Grande do Norte.

Sem as águas do São Francisco - e tendo em vista os baixos volumes acumulados agora pelo Orós e pelo Castanhão - o abastecimento de Fortaleza e das cidades de sua Região Metropolitana estará comprometido, correndo risco de colapso. Diante da preocupante previsão da Funceme, o Governo do Ceará deve entender-se logo com o MDR no sentido de acelerar um acordo para a retomada imediata da viagem das águas de Jati para o Castanhão, via CAC e rio Salgado.

A propósito, esta coluna transmite uma informação em primeira mão: o ministro Rogério Marinho está convidando o engenheiro Hypérides Macedo, uma das maiores autoridades brasileiras em recursos hídricos, para uma conversa sobre a viabilidade de execução de um projeto que possa transferir para o Nordeste um pouquinho das águas da bacia do Tocantins.

A engenharia e a tecnologia hídricas evoluíram muito nos últimos anos, e o que hoje parece difícil, na verdade pode não ser. Caro, muito caro esse projeto será, mas estudar a sua viabilidade é uma providência importante e oportuna, razão por que o ministro Marinho merece aplausos.

Caju

Há 22 anos, no mercado de refrigerantes do Ceará, o Grupo Mais Sabor está lançando um novo produto: o Mais Caju! Trata-se de um refrigerante à base de caju, fruta abundante aqui. Para seu lançamento, a agência Club da Comunicação deu apoio à criação da marca, do rótulo e para a campanha publicitária e peças em PDV.

Antidemocrático

"Nós voltaremos, de um jeito ou de outro", disse o agora ex-presidente dos EUA, Donald Trump antes de embarcar ontem para o ostracismo de seu resort na Flórida. No melhor estilo dos ditadores, Trump deu as costas para o seu sucessor, Joe Biden, e se recusou a transmitir-lhe o cargo. Uma atitude antidemocrática.


Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados