Ceará tem 50% de chance de receber chuvas abaixo da média entre fevereiro e abril, diz Funceme

As informações são do prognóstico meteorológico divulgado, nesta quarta-feira (20), pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos

Foto: Camila Lima

O Ceará tem 50% de probabilidade de receber chuvas abaixo da média histórica nos meses iniciais da quadra chuvosa, de fevereiro a abril de 2021. O prognóstico meteorológico divulgado, na manhã desta quarta-feira (20), pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) apontou ainda que o Estado possuí 40% de chances de precipitações em torno da normalidade e ainda 10% acima da média nos próximos três meses.  

Os modelos de previsão climática indicam a presença de um gradiente de chuvas sul-norte, acarretando, no Centro-Sul do Ceará anomalias negativas de chuvas que apontam para precipitações abaixo da normal. Já no Noroeste do Estado as anomalias positivas representam cenário mais provável de chuvas acima da média normal.

Em 2020, o órgão apontou a probabilidade de 45% de o Ceará ter chuvas acima do normal entre os meses iniciais da quadra chuvosa, de fevereiro a abril. O prognóstico ainda indicou 35% de chances de precipitações dentro do normal e de 20% para a categoria abaixo do normal. 

Recursos hídricos

Com o prognóstico da Funceme indicando um provável cenário negativo em relação às precipitações, acende um alerta em relação ao nível de recursos hídricos no Ceará. Atualmente, os reservatórios estão em 25% do total, segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). Diante do contexto, o secretário de Recursos Hídricos do Estado (SRH), Francisco Teixeira, alertou para o uso consciente da água em todas as regiões cearenses.

"Após esse prognóstico, devemos ter uma maior cautela, mais parcimônia no uso da água e no controle e na liberação de água dos nossos reservatórios, sobre tudo nas regiões do Centro-Sul do Estado", disse o gestor.  

Áreas que já enfrentam uma crise hídrica, como os municípios de Monsenhor Tabosa e Pedra Branca, entre outros, podem ter a situação agravada com as precipitações abaixo da média. Entretanto, o secretário afirmou que essas cidades continuarão a receber uma atenção especial do Estado, através de medidas para evitar o colapso da escassez de água, como a construção de poços entre outras. 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza