Em seis meses, setor de energia solar passará a contar com taxação progressiva

A partir de 7 de janeiro de 2023, quem instalar painéis fotovoltaicos irá pagar uma taxa sobre o custeio da rede elétrica

Escrito por Agência de Conteúdo DN,

Negócios
Legenda: MF Energy conta com produtos voltados para segmentos residenciais, comerciais e industriais de diferentes portes
Foto: Shutterstock

Programado para entrar em nova etapa no dia 7 de janeiro de 2023, o marco legal da energia própria irá mudar as regras para quem produz energia solar em casa. Atualmente, quem possui sistemas fotovoltaicos instalados em residências ou espaços comerciais conta com isenção até 2045 da cobrança de taxas referentes ao uso de sistemas de distribuição para micro e minigeradores de energia.  

Ou seja, durante os próximos seis meses, quem realizar a adesão de um sistema fotovoltaico irá manter os benefícios concedidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O período de transição foi estabelecido pela lei 14.300/22, sancionada neste ano. A partir de 7 de janeiro do ano que vem, os novos consumidores irão pagar uma taxa gradativa durante os primeiros anos de uso, referente ao custeio da rede elétrica. A porcentagem inicial é de 4,1% em relação à energia produzida, subindo até 24,3% em 2028.

De acordo com Thyenna Karen, CMO da MF Energy, a principal vantagem de um cliente ser homologado dentro dos próximos seis meses é a garantia, até 2045, de não receber nenhuma taxação. Dessa forma, o tempo de espera para o retorno financeiro esperado após a implantação de um sistema fotovoltaico será mais longo. “Hoje em dia, (esse tempo) é de três a quatro anos, até chegar no máximo a cinco. Ele vai aumentar para seis, sete, de acordo com a taxação”, explica.  

No Ceará, a gestora explica que a demanda pela instalação de equipamentos está alta em setores residenciais, nos de comércio, em todos os segmentos, além das indústrias. Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), 76,6% dos consumidores de energia solar no Brasil são imóveis residenciais. O setor conta com mais de 1 milhão de clientes em nível nacional.  

Legenda: Os clientes podem conferir os produtos da MF Energy nos dois showrooms da empresa
Foto: Divulgação

“Em relação a energia solar no Ceará, por ser um estado próximo a linha do Equador, nós temos um fator solar maravilhoso para geração de energia. Temos muitas condições para geração de energia limpa através dos painéis solares e também através da energia eólica”, pontua Thyenna.  

Investimento duradouro 

Com kits residenciais a partir de R$13.990, a MF Energy possui serviços que atendem às principais demandas relacionadas à instalação de painéis fotovoltaicos. A empresa conta com um time robusto de engenheiros capacitados para todas as etapas do processo, da instalação ao pós-venda, com uma carteira de mais de 900 clientes no Ceará.

Até o próximo dia 15 de julho, a empresa também estará com kits para residências com preços promocionais. Devido à alta do dólar, o valor de importação subiu, o que resultou no aumento dos valores. 

“O cliente pode contar com uma estrutura para qualquer tipo de socorro, por conta dele estar adquirindo equipamentos que têm até 25 anos de garantia. Então, o investimento em estrutura física e capital humano sempre foi primordial para MF”, finaliza Thyenna Karen.  

Serviço 

Os contatos com a MF Energy podem ser feitos pelos seguintes canais de atendimento 

Site: www.mfenergy.com.br 
Instagram: @mfenergy_solar 
Facebook: @mfenergysol 
Telefone: 0800 887 1146 
WhatsApp: (85) 98218.6063 
Showrooms: Rua Carlos Vasconcelos, 1240 - Aldeota (Fortaleza) // Av. Dr. José Arimathéa Monte e Silva, 830 - Centro, Sobral - CE