Ceará tem 156 projetos habilitados para o próximo leilão de energia

O certame será realizado no dia 18 de outubro. Ao todo, os empreendimentos autorizados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) têm uma potência de 7,467 gigawatts (GW)

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: A fonte solar fotovoltaica representa o maior volume autorizado para certame, com 42% do total.

Para o próximo leilão de energia, previsto para o dia 18 de outubro, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) habilitou 156 projetos para o Ceará, sendo 85 de geração solar fotovoltaica, 69 de geração eólica e 2 térmicas a gás. Ao todo, os empreendimentos autorizados para o Estado têm uma potência de 7,467 gigawatts (GW), sendo 3,196 GW de solar (42,8%), 2,180 GW de térmica (29,1%) e 2,091 GW de energia  eólica (28,1%).

Hoje, todas as usinas em operação no Ceará têm uma potência instalada de 4,433 GW, sendo 48,7% em térmicas (21, GW), 46,3% em eólicas (2,054 GW), e 4,9% de solar fotovoltaica (0,2 GW). E, considerando os empreendimentos já contratados em leilões anteriores, o Estado irá adicionar 1,091 GW até 2023, sendo a maior parte de usinas solares (72,3%).

De acordo com a EPE, os empreendimentos deverão iniciar o suprimento de energia a partir do dia primeiro de janeiro de 2025. As usinas solares e eólicas têm prazo de suprimento de 20 anos. As térmicas de 25 anos e as hidráulicas de 30 anos. Este leilão marca a estreia da fonte solar fotovoltaica participa em um leilão para entrega em seis anos (A-6).

Brasil
No País, a geração térmica a gás registrou o maior volume de capacidade instalada a ser ofertada no leilão, com 41,719 GW, 41,3% do total, distribuídos em 52 projetos. Em seguida, aparecem a fonte solar fotovoltaica, com 29,780 GW (29,5%), em 825 projetos; e a eólica, 25,159 GW (24,9%), em 845 usinas. O restante é referente a usinas hidrelétricas, e térmicas a carvão e de biomassa. 

As duas fontes renováveis terão como característica também no certame o menor preço máximo a ser negociado, com o preço teto da energia eólica fixado em R$ 189 o megawatt-hora (MWh) e da solar, R$ 209/MWh. O gás natural terá o preço teto mais alto do certame: R$ 292/MWh, o mesmo valor estipulado para todas as usinas térmicas (gás, carvão e biomassa). As hidrelétricas, que já dominaram o setor elétrico no Brasil, serão minoria no leilão, terão preço teto de R$ 285/MWh.

Assuntos Relacionados