Segundo corpo de tripulante de lancha desaparecida no Rio de Janeiro é identificado

Ricardo José Kirst era um dos proprietários da embarcação, sumida em 29 de janeiro. Outros dois corpos seguem sem identificação

Legenda: Em nota, a Marinha do Brasil informou que soube do desaparecimento da embarcação, a qual, supostamente, teria sumido na altura de São João da Barra (RJ).
Foto: reprodução/Instagram

O corpo de Ricardo José Kirst foi identificado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Macaé, no Rio de Janeiro, informou a Polícia Civil do estado nesta segunda-feira (8). Ele era um dos proprietários da lancha que viajava com cinco pessoas do Rio de Janeiro para o Ceará, desaparecida em 29 de janeiro. O corpo dele é o segundo dos corpos achados a ser identificado.

O outro corpo é de um pescador que estava a bordo do equipamento, Wilson Martins dos Santos.

Ainda conforme a Polícia Civil, as fichas de registro civil dos cinco tripulantes da embarcação estão em posse da perícia local. Os documentos foram enviados pelo Instituto de Identificação de Ceará para ajudar os peritos, já que outros dois cadáveres permanecem sem reconhecimento.

Em nota, a Polícia Civil do Rio de Janeiro destaca que, "devido às condições desfavoráveis dos outros dois cadáveres, será necessária uma intervenção e tratamento do tecido epidérmico para possibilitar a coleta com qualidade suficiente e, desta forma, confirmar as identidades das vítimas".

O órgão acrescenta que todos os familiares já foram comunicados.

Uma operação conjunta entre Marinha do Brasil e Força Aérea Brasileira (FAB) localizou os dois primeiros corpos na quinta-feira (4); os outros dois, no sábado (6). Além deles, um freezer e outro objeto ainda sem identificação também foram encontrados.

Desaparecimento

O grupo saiu de viagem do Rio para Fortaleza no dia 26 de janeiro, mas desapareceu no dia 29. A viagem deveria durar de 15 a 20 dias. As operações de busca foram iniciadas no dia 31, logo depois de a Marinha do Brasil tomar conhecimento do sumiço. A família de um dos homens desaparecidos foi ao Rio de Janeiro para reconhecer os corpos

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza