Eusébio tem a maior proporção de população testada para Covid-19 no Ceará

Parceria técnica entre o município e a Fiocruz busca identificar pessoas infectadas ainda com os primeiros sintomas, a partir da liberação de exames em até 24 horas.

Testes RT-PCR
Legenda: Um dos fatores para o resultado no Eusébio é a parceria firmada com a Fiocruz-CE, que realiza testes RT-PCR, considerados os mais confiáveis para o diagnóstico da doença
Foto: José Leomar

A cada cinco moradores, um foi testado para Covid-19 até o momento, em 2021. Essa é a marca atingida pelo município do Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Dos cerca de 54 mil habitantes, de acordo com a projeção mais recente do IBGE, 11 mil já passaram por algum exame diagnóstico neste ano.

A cidade tem a maior proporção (21,2%) de moradores testados entre os 184 municípios do Ceará, de acordo com dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), de 1º de janeiro a 22 de abril deste ano.

Para se ter noção da diferença, a média do Ceará como um todo é de 7,4%. Considerando as 36 cidades do Estado com mais de 50 mil habitantes, a taxa é de 6,7%. Na Capital, o índice é de 9,9%.

Um dos fatores para o resultado no Eusébio é a parceria firmada, ainda em janeiro, entre a Prefeitura Municipal e a Fundação Oswaldo Cruz no Ceará (Fiocruz-CE), cuja nova sede começou a operar no município em 2018. O laboratório realiza testes RT-PCR, considerados os mais confiáveis para o diagnóstico da doença. 

Antes da parceria, o município testava de 10 a 20 pessoas por dia, segundo o secretário municipal de Saúde, Josete Tavares. Atualmente, o índice varia de 100 a 200 habitantes com amostras coletadas diariamente, mas já teve pico de 350. 

No início do ano, começamos a sentir a situação apertada. Tínhamos um número limitado de testes, que demoravam de sete a 10 dias para serem liberados. Como a doença tem uma fase aguda, muitos deles serviam apenas para estatística. Então, vimos a oportunidade de aproximar a produção científica da Fiocruz com nosso trabalho”
Josete Tavares
Secretário municipal de Saúde

O número de profissionais envolvidos nos procedimentos também aumentou: em janeiro, havia duas equipes volantes de coleta; hoje, após treinamento, são 25 grupos de apoio, incluindo equipes de saúde da família, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e hospital.

O responsável técnico pela Fiocruz-CE e ex-secretário estadual da Saúde, Carlile Lavor, explica que, com a parceria, os exames são liberados em até 24 horas. A contrapartida é simples: o interesse do município em utilizar os dados para orientar a população.

“É o que os países que têm conseguido bons resultados fazem: identificam as pessoas que estão jogando o vírus no ambiente e acompanham, orientam com rigor. Queremos aprender a fazer esse isolamento, que não é fácil, principalmente para pessoas de menor escolaridade”, considera o médico.

Lavor afirma que a positividade das amostras do Eusébio oscila em torno de 30% e 50%, dependendo do dia. Os índices são semelhantes, segundo ele, aos do Ceará inteiro.

Quando se avalia somente a proporção de testes RT-PCR quanto à população, o Eusébio (19,05%) fica em segundo no Estado, atrás apenas de Itaitinga (19,68%). O município vizinho tem cerca de 38 mil habitantes.

Não é testagem em massa

O secretário Josete Tavares garante que, como não há coleta aleatória de exames, não se pode falar em “testagem de massa” no município, apesar da grande proporção já coberta.

Atualmente, os testes são voltados apenas para pacientes que apresentem algum sintoma gripal. Eles devem se dirigir a alguma unidade de saúde para a realização do teste (swab). O paciente com suspeita fica em isolamento domiciliar até sair o resultado.

Os confirmados passam a ser monitorados por uma equipe de saúde que avalia as condições clínicas na própria residência. Também passam a receber visitas para investigar sinais de alarme que podem levar ao agravamento do quadro.

Fazemos o teste no primeiro dia de sintomas, antecipando o tempo de testagem. Dando positivo, já orientamos a pessoa a seguir isolada. Se der negativo, com cinco dias, chamamos pra repetir”
Josete Tavares
Secretário de Saúde de Eusébio

Para Carlile Lavor, não há prejuízo em testar logo no primeiro dia, embora a Sesa realize testes RT-PCR entre o 3º e o 7º dia de sintomas leves. “Nem sempre a pessoa vai à unidade de saúde no primeiro dia; geralmente começa em casa e vai no seguinte. Mas é muito importante colher na primeira visita”, justifica.

Ações orientadas

A partir dos resultados da parceria, o secretário Josete Tavares elenca as principais ações já tomadas para o controle da pandemia na cidade:

  • Monitoramento territorializado e publicização diária de testes;
  • Descentralização da coleta de amostras, reduzindo a circulação de pessoas pela maior quantidade de unidades disponíveis;
  • Identificação mais rápida de casos na fase aguda, reduzindo complicações;
  • Solicitações de urgência para casos graves, cujos resultados saem em até 6 horas;
  • Visitas domiciliares de infectados para acompanhamento dos casos e entrega de medicamentos;
  • Criação de serviço de acompanhamento de reabilitação pós-Covid;
  • Sanitização de locais de circulação pública.

Segundo o boletim epidemiológico do município, 2020 inteiro registrou 6.106 testes realizados, 2.008 confirmados e 72 óbitos. Em 2021, até 22 de abril, foram 9.203 testes feitos (50% a mais), 2.785 confirmados (38% maior) e 51 óbitos.

Capacidade técnica

Em agosto de 2020, o polo da Fiocruz no Eusébio inaugurou a Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19, com capacidade para liberar, por dia, até 10 mil resultados.

Segundo o representante, atualmente, são liberados cerca de 7 mil exames por dia, não apenas do Ceará mas também de outros Estados. Ao todo, 150 profissionais se revezam no processamento 24h por dia, sete dias por semana.

Carlile diz que Tauá, município do Sertão Central, será o próximo a receber a parceria com a Fundação. Atualmente, 25 equipes de saúde da família de lá passam por treinamento para coleta das amostras e orientação de pacientes.

Questionado sobre possível ampliação para outros municípios, ele pondera que os dois até agora são “exceção para avançar nos estudos”. Os demais precisam passar pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen-CE), que encaminha as amostras à Fiocruz.

Contudo, Carlile defende que as gestões acompanhem os casos mesmo com os exames pendentes. “É um paciente suspeito? Já isola e acompanha os casos positivos, porque tem casos que começam a se agravar e o médico precisa entrar pra ver se precisa hospitalizar”, orienta.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza