Pressão para escolher o curso afeta estudo e saúde mental de jovens que se preparam para o Enem

Processo de reconhecimento dos próprios desejos e habilidades é fundamental para decidir a profissão, diz especialista

Menina estudando e levando as mãos a cabeça preocupada
Legenda: Critérios dos estudantes para escolher o curso levam em conta realização pessoal, mas também a vontade dos pais
Foto: Shutterstock

A escolha do curso é mais um ponto que causa angústia em estudantes que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com o intuito de conseguir vaga no ensino superior. Dúvidas sobre a profissão, sobre o mercado de trabalho e também sobre a identificação com a atividade são algumas das questões que acabam aumentando a ansiedade dos jovens. 

No sexto episódio do podcast “Isso Não Cai no Enem”, conduzido pela jornalista do EducaLab Lígia Costa, as vestibulandas Ana Clara Leão, 17, e Ana Vitória Marques, também de 17 anos, relatam como se preparam para fazer a escolha do curso. Em meio às incertezas, as expectativas dos pais, o retorno financeiro e a realização pessoal são critérios colocados na balança. 

Para Ana Clara, a única variável que ainda não mudou durante o ensino médio é a vontade de cursar algo relacionado com Matemática. Mas se isso vai valer uma inscrição em Engenharia de Petróleo, Engenharia Química ou Economia, a estudante ainda não decidiu.

“Às vezes, essa indecisão me deixa até desestimulada pra estudar porque, se eu não sei o que vou fazer, o quê que adianta eu estudar?”, reflete. Segundo ela, a mudança da escola privada para a pública trouxe uma nova perspectiva às sua escolhas.

Já para Ana Vitória, a quarentena foi o que a levou a refletir mais profundamente sobre o próprio futuro profissional. “Antes da quarentena, eu tava super focada e super esforçada nos estudos porque eu já sabia qual era o curso que eu queria, eu já sabia que era Medicina que eu queria fazer. Só que, quando a quarentena começou, eu passei a refletir se era realmente aquilo que eu queria”, conta Ana Vitória. 

As duas alunas têm o comum entendimento de que são muito novas para tomar decisões que afetam tanto os seus futuros. “É uma responsabilidade muito grande e é bem assustador”, afirma Vitória. Os fatores para levar em conta são inúmeros, e Clara acaba sem saber a quem ouvir. “A escola diz isso, a TV diz isso, meus pais dizem isso e eu sei que eu preciso me formar, eu sei que eu preciso trabalhar futuramente, eu não posso não ter um emprego”.

Orientação profissional

Apesar de ser uma decisão difícil, há maneiras de tornar o momento menos aversivo com ajuda de sessões de orientação profissional. A psicóloga clínica, psicodramatista e orientadora profissional Lia Soares Dantas explica que é necessário autoconhecimento e reflexão para chegar à resposta sobre o curso ideal. 

“Quais são os interesses dele? Eu acho que essa é a grande questão. Muitos dos jovens quando chegam no processo de orientação profissional, eles não sabem. Eles não tiveram essa oportunidade de explorar o que eles, de fato, gostam”, diz Lia. A especialista recomenda que os estudantes se perguntem quais atividades, lugares e momentos os fazem felizes. 

Segundo ela, muitos decidem por não seguir a profissão que “brilha o olho”. “A pressão social, a pressão familiar, a pressão da escola acabam falando mais alto”, elenca. No entanto, a importância do momento de olhar para dentro e descobrir habilidades e gostos vai para além da carreira, podendo servir de válvula de escape e lazer. “O jovem compreende, ele gosta de saber que não precisa desistir de tudo porque vai seguir uma carreira profissional diferente da que ele queria”. 

Sisu

Para utilizar a nota do Enem, os vestibulandos devem utilizar o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Em 2020, 237 mil vagas foram disponibilizadas pelo sistema em 128 instituições públicas do Brasil. Pode se inscrever quem participou do último exame nacional e obteve nota na redação maior que zero. O candidato pode escolher duas opções de curso e mudar de ideia durante todo o período de inscrições.

O que são podcasts?

O “Isso Não Cai no Enem” é um podcast produzido pelo EducaLab e realizado pelo Sistema Verdes Mares, com apoio do Governo do Ceará e da Universidade de Fortaleza. Está disponível nos principais agregadores de streaming. 

Podcasts são materiais entregues em formato de áudio, muito semelhantes a programas de rádio. Porém, a diferença é que este conteúdo fica disponível para que o ouvinte escute quando e onde quiser. Não é ao vivo. São produzidos sob demanda.

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab