Policiais Militares assumem trisal e compartilham rotina do poliamor em perfil na rede social

Os três dizem que enfrentam os preconceitos e pretendem "viver juntos para sempre"

Os três estão juntos há quase um ano
Legenda: Os três estão juntos há quase um ano
Foto: reprodução

Quantas são as possibilidades ou formas de amar? Incontáveis, diriam os românticos. Na cidade de Brasileia, interior do Acre, três apaixonados corroboram essa tese. O trio tem um desejo em comum: que o (poli)amor - entre eles - dure para o resto da vida. 

Os sargentos da Polícia Militar Alda Nery e Erisson Melo, e a administradora Darlene Oliveira, vivem há quase um ano um poliamor ou trisal. Ontem, dia 12, eles comemoraram o primeiro Dia dos Namorados juntos. 

De acordo com o portal G1 Acre, tudo começou no ano 2000, com o casamento dos militares Alda e Erisson, que tiveram dois filhos, um de 17 e outro de 13 anos. Mais recentemente, Darlene entrou para vida do casal e também se tornou um elo importante da relação que, conforme eles fazem questão de destacar, é mantida à base do respeito, amor e lealdade.

Romance começa em rede social 

Alda Nery foi quem primeiro tomou a iniciativa e começou a conversar com Darlene, em uma rede social. À época, a administradora estava em um relacionamento e, portanto, garante que no começo as conversas eram apenas na base da amizade.

Legenda: Para os três, a lealdade é um dos pilares da relação
Foto: Reprodução

Tempos depois Darlene ficou soleira. O fim do relacionamento marcou o início do trisal. O trio começou a sair e, desde então, não se separaram. Alda relembra que antes disso precisou por um processo de descoberta após o casamento com Erisson.

“Eu já sabia que gostava de mulher também, só que essa descoberta só veio depois que casei. Ele era bem mais experiente e percebeu algumas coisas em mim e foi ele quem viu que eu gostava", conta ao G1.

Alda revela que se relacionou com outras duas mulheres, nenhuma de forma duradoura. Três anos após o fim do seu último envolvimento, ela conheceu Darlene. “Quando vi a foto dela, falei para ele e disse que na cidade, a única pessoa com que ficaria, seria ela". 

As conversas evoluíram para saídas a três e agora eles estão há seis meses morando na mesma casa. O convite foi feito por Alda, quando ela e Melo iam fazer uma mudança.

Relação pública

Com a certeza de que queriam ficar juntos "para sempre", o trio resolveu assumir o poliamor publicamente. A revelação veio de forma inusitada. Na mesma rede social em que os diálogos começaram,  eles fizeram um perfil onde passaram a postar a rotina. Já são mais de 26 mil seguidores. 

“Como a gente gosta dela e ela gosta da gente, íamos sair e dizer que ela é o que nossa? Minha amiga, minha prima? E as pessoas viriam dar em cima dela e a gente ia ficar com a cara mexendo? Então, se gostamos o suficiente para estar com ela, tem que gostar para assumir para a sociedade porque ela nunca foi só sexo”, explica Alda ao portal.

Legenda: A rotina deles é exposta em um perfil criada na rede social
Foto: Reprodução

A transparência e respeito da família ajudou. Alda conta que o relacionamento é algo leve entre eles e os filhos. Sobre os tabus existentes, ela conta que, apesar das pessoas alimentarem 'preocupações', os filhos foram criados para respeitar as pessoas.

Juntos para sempre

Juntos há quase um ano, o trio sonha que a relação dure para sempre, ainda que não tenham o desejo de oficializar o matrimônio. "No nosso entendimento, nossa relação é totalmente oficializada. Temos consideração, lealdade e fidelidade. Nosso sonho não é casar, nosso é viver juntos a maior quantidade de tempo possível, os três juntos, mesmo com toda a hipocrisia ao nosso redor”, pontua Alda.

Melo completa dizendo que, o propósito existente no início do casamente segue inalterado. "Permanece e queremos viver os três juntos, é o para sempre. Hoje em dia as pessoas estão desacreditadas nas relações e já começam pensando em terminar e diz: 'qualquer coisa eu termino, qualquer coisa separo, e não é nosso objetivo'.

Quanto aos preconceitos, eles reconhecem a "dureza", mas se dizem prontos para "superar tudo isso". A página na rede social, para Melo, tem esse objetivo de vencer barreiras.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil