Comitê do Consórcio NE sugere criação de comissão emergencial para vacinação contra o coronavírus

Para o comitê, uma segunda onda do vírus já se instalou no mundo todo, atingindo também a região e o Brasil

Vacina contra covid
Legenda: A comissão independente que seria formada pelos maiores especialistas brasileiros da área
Foto: Bryan R. Smith / AFP

O Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste indicou algumas medidas de enfrentamento à pandemia, em um momento que o órgão considera já existir uma segunda onda da doença instalada não apenas nos nove estados nordestinos, como no Brasil todo e no mundo. Uma delas, é a criação de uma comissão independente nacional emergencial para a vacinação contra o vírus.

O último boletim do Comitê, publicado no site oficial do grupo, sugere que os nove estados nordestinos comecem a elaborar, de maneira conjunta, e com caráter emergencial, os planos de contingência para realizar uma campanha de vacinação na região, caso o governo federal não assuma esta responsabilidade a nível nacional.

A recomendação do Comitê, que traz sugestões aos estados nordestinos, é que os nove governadores da região apresentem aos outros chefes dos Executivos estaduais das demais regiões a comissão independente que seria formada “pelos maiores especialistas brasileiros da área”, com o objetivo de “assessorar os 27 governadores brasileiros na definição de uma estratégia de vacinação unificada para o país”.

“Esta comissão será fundamental para auxiliar os governadores do Nordeste e de todas as outras regiões brasileiras nas suas negociações com o Ministério da Saúde e com os  fornecedores internacionais”, complementa o boletim.

Outras medidas contra o vírus

O boletim também apresenta a recomendação que o Consórcio NE veicule por toda a região uma campanha de comunicação sobre a segunda onda de Covid-19. A campanha deve  alertar e esclarecer a população sobre a importância da vacinação em massa, da manutenção e ampliação das medidas de isolamento social e higiene necessárias para evitar que este segundo momento tenha efeitos ainda mais danosos do que o primeiro.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil