Soldado russo é condenado à prisão perpétua por crime de guerra na Ucrânia

Vadim Shishimarin admitiu ter matado homem de 62 anos em julgamento

O soldado russo Vadim Shishimarin, 21 anos, foi condenado, nesta segunda-feira (23), à prisão perpétua após julgamento em tribunal de Kiev, na Ucrânia. O militar da Rússia foi considerado culpado de crimes de guerra no primeiro veredito do tipo no país desde o início da invasão russa, em fevereiro. Durante o julgamento, o sargento admitiu ter matado um civil de 62 anos nos primeiros dias da ofensiva russa e pediu "perdão" à viúva da vítima, justificando o ato como "ordens recebidas". O combatente russo também foi considerado culpado de assassinato premeditado, e a defesa dele anunciou que pedirá recurso contra a decisão.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo