VÍDEO: Drones sobrevoam vulcão Cumbre Vieja e mostram rastro de destruição em La Palma

Imagens aéreas mostram um impressionante rio de lava incandescente abrindo passagem sobre a região

Um novo fluxo de lava muito líquida apareceu nesta sexta-feira (1º) na ilha espanhola de La Palma, onde o vulcão Cumbre Vieja já expeliu 80 milhões de metros cúbicos de magma desde sua entrada em erupção há quase duas semanas, informaram as autoridades.

Segundo o Instituto Geológico e de Mineração da Espanha (IGME), este novo fluxo começou às 02h30 no horário local (22h30 de quinta-feira no horário de Brasília), após a aparição de uma nova boca considerada muito expulsiva no flanco do Cumbre Vieja.

Após um breve intervalo na manhã de segunda-feira (27), o vulcão Cumbre Vieja voltou a ter atividades intensas, na ilha espanhola de La Palma.
Legenda: Após um breve intervalo na manhã de segunda-feira (27), o vulcão Cumbre Vieja voltou a ter atividades intensas, na ilha espanhola de La Palma.
Foto: Desiree Martin/AFP

Vídeos aéreos captados pelo IGME e pelo Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan) mostram um impressionante rio de lava incandescente abrindo passagem sobre um solo carbonizado.

Este novo fluxo se soma à lava que continua se acumulando no oceano Atlântico, formando uma vasta plataforma de magma, cuja superfície supera os 20 hectares e não para de crescer. 

Situação em La Palma

A erupção, que não deixou nenhum morto ou ferido até o momento, obrigou a remoção de cerca de 6.000 dos 85.000 habitantes da ilha. Os danos materiais são muitos e a lava destruiu 870 edifícios, além de cobrir 358 hectares de terreno, segundo o sistema de medida geoespacial Copernicus. 

Na manhã de segunda-feira (27), o vulcão cessou emissão de lava, por um breve período.
Legenda: Na manhã de segunda-feira (27), o vulcão cessou emissão de lava, por um breve período.
Foto: Desiree Martin/AFP

Depois de percorrer seis quilômetros nos primeiros dias de erupção e de ter quase parado depois, o ardente fluxo de lava finalmente chegou ao mar na madrugada de terça para quarta-feira, gerando grandes quantidades de fumaça e gás tóxico.

Para evitar intoxicações, foi estabelecido um perímetro de segurança de 3,5 quilômetros, além de uma zona de exclusão marítima de duas milhas náuticas. As autoridades da ilha pediram aos moradores de vários bairros que se confinassem em suas casas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo