Vacina Covaxin, da Índia, tem 81% de eficácia contra Covid-19, diz fabricante

Resultado vem após análise de ensaio de fase 3. Imunizante já é utilizado em vacinação no país indiano

Vacina Covaxin contra Covid-19
Legenda: O Ministério da Saúde assinou contrato para compra de 20 milhões de doses da Covaxin no dia 25 de fevereiro.
Foto: Dibyangshu Sarkar/AFP

A vacina Covaxin, da Bharat Biotech, apresentou 81% de eficácia na prevenção da Covid-19, segundo comunicou a própria empresa nesta quarta-feira (3). O resultado vem após análise preliminar de ensaio em fase 3 na Índia e reforça o ânimo de profissionais de saúde que, antes de ter esses dados em mãos, já vinham sendo imunizados.

A análise, segundo Krishna Ella, presidente da Bharat, é baseada em 43 casos de pacientes que apresentaram sintomas que variam de leves a moderados e graves. Do total de casos, 36 eram do grupo placebo, e 7 foram dos que receberam a vacina. “A Covaxin demonstra alta eficácia clínica contra a Covid-19”, afirmou.

O resultado positivo também reforça as perspectivas de vendas no exterior, pois a vacina — a primeira de Covid-19 bem-sucedida da Índia — já atrai o interesse de mais de 40 países, de acordo com a empresa, cuja sede está localizada em Hyderabad. Os resultados são divulgados em um momento em que a Índia se esforça para convencer trabalhadores de saúde e de linha de frente contra o novo coronavírus a tomar a Covaxin, aprovada sem dados de eficácia de estágio final no mês de janeiro.

Covaxin no Brasil

O Ministério da Saúde autorizou, no último dia 20, a dispensa de licitação para a compra da Sputnik V e da indiana Covaxin. No dia 25, a Pasta informou que assinou contrato com a Precisa Medicamentos/ Bharat Biotech para a compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin. A aplicação de dose, porém, ainda depende de aval da Anvisa.

Imunização na Índia

Até a semana passada, não mais que 11% dos mais de 10 milhões de indianos vacinados haviam tomado a injeção da Bharat Biotech.

Muitos políticos do país, incluindo o primeiro-ministro Narendra Modi, foram vacinados com a Covaxin, em vez da vacina da AstraZeneca/Universidade de Oxford, a qual também produzida no país. Bharat disse que a próxima análise provisória terá como alvo 87 casos, além de que a análise final incluirá 130 casos. O primeiro estudo ocorreu com base em um ensaio clínico de fase 3 com 25,8 mil participantes, conduzido pelo governo indiano. O estudo incluiu 2.433 participantes com mais de 60 anos e 4,5 mil com comorbidades.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo