União Europeia abre processo contra AstraZeneca por atrasos no envio de vacinas contra a Covid-19

Ação judicial foi anunciada nesta segunda-feira (26). Empresa alegou que processo é "sem mérito"

Frascos de vacinas da AstraZeneca
Legenda: Todos os 27 países-membros do bloco econômico integram a ação contra a empresa.
Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP

A União Europeia (UE) abriu um processo judicial contra a farmacêutica AstraZeneca, em meio a sucessivos atrasos da empresa na entrega de vacinas contra a Covid-19. O anúncio da ação foi feito pela comissária do bloco para Saúde e Alimentos, Stella Kyriakides, em publicação no Twitter nesta segunda-feira (26).

"Nossa prioridade é garantir que as entregas das vacinas contra a Covid-19 aconteçam para proteger a saúde da UE. Por isso a Comissão Europeia decidiu, junto aos Estados membros, iniciar procedimentos legais contra a AstraZeneca", publicou.

A UE alega que a empresa britânica violou os termos contratuais firmados em 2020, que previam a compra de mais de 300 milhões de doses do imunizante contra o coronavírus, com mais de 100 milhões entregues no primeiro trimestre. A companhia, no entanto, enviou apenas cerca de 30 milhões no período.

AstraZeneca vai se defender

A AstraZeneca afirmou, também nesta segunda-feira, que "lamenta" a decisão da UE de processar a empresa por atrasos na entrega da vacina. A farmacêutica alegou, em comunicado, que a ação é "sem mérito" e se comprometeu a "se defender fortemente" nas cortes judiciais.

A companhia disse ter enviado mais de 50 milhões de doses do imunizante ao bloco até o fim de abril, citando "desafios" na produção das doses.

"Estamos tendo progressos na abordagem de desafios técnicos e nossa produção está melhorando, mas o ciclo produtivo da vacina é muito longo, o que significa que melhorias levam tempo para resultar em maior volume de doses produzidas", pontuou a AstraZeneca.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo