Universidade na Bahia aprova cota para detentos, egressos do sistema prisional e refugiados

Expectativa é de que as novas medidas sejam aplicadas nos próximos processos de ingresso

Fachada da Universidade
Legenda: AUFSB ajustou sua política de ações afirmativas e incluiU reserva de vagas para pessoas privadas de liberdade e refugiados
Foto: Divulgação/ UFSB

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) informou, nesta quarta-feira (22), que vai destinar uma vaga de cada curso de graduação, turno e campus da instituição a pessoas em situação de privação de liberdade, egressos do sistema prisional e para refugiados

A UFSB possui três campi no interior da Bahia, nos municípios de Porto Seguro, Itabuna e Teixeira de Freitas. A expectativa é que as novas medidas sejam aplicadas nos próximos processos de ingresso.

O público vai poder acessar a vaga por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e Colégios Universitários. 

A UFSB informou que vai buscar apoio junto à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Secretaria da Justiça do Estado da Bahia e unidades prisionais da área de abrangência da universidade e outras instituições para divulgar a nova política de cotas. 

Segundo a UFSB, ela é a primeira universidade a oferecer reserva de vagas para o público interno ou egresso do sistema prisional no Brasil.

Resolução 

O Conselho Universitário da UFSB aprovou, nesta quarta-feira (21), a proposta de alteração na Resolução 10/2018, que trata da política de ações afirmativas para processos seletivos aos cursos de graduação. 

De acordo com o comunicado, a instituição também foi a pioneira na reserva de vagas supranumerárias para pessoas transexuais, travestis e transgêneros, além de manter em sua política de ações afirmativas vagas supranumerárias para povos indígenas aldeados, de comunidades remanescentes de quilombos ou comunidades identitárias tradicionais e pessoas de origem cigana.