Polícia deflagra operação para investigar supostas fraudes envolvendo cooperativa de saúde e Sesa

Sete mandados de busca e apreensão são cumpridos nas cidades de Fortaleza e Eusébio

Escrito por Messias Borges, messias.borges@svm.com.br

Segurança
Operação investiga Samu e Sesa
Legenda: Foram encontrados indícios do funcionamento de um esquema criminoso de favorecimento financeiro indevido que envolve profissionais da Coaph que atuavam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)
Foto: Kid Júnior

A Polícia Civil do Ceará (PC-CE) deflagrou, nesta quinta-feira (30), uma operação para aprofundar investigações sobre supostas fraudes que envolvem a Cooperativa de Trabalho de Atendimento Pré-Hospitalar LTDA (COAPH), prestadora de serviços médicos hospitalares à Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa).

7
mandados de busca e apreensão domiciliares são cumpridos por 50 policiais civis, nas cidades de Fortaleza e Eusébio, em endereços ligados aos alvos da investigação.

A Operação Karkinos tem por objetivo investigar crimes de fraude à licitação, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro. As ordens judiciais foram expedidas pelo Poder Judiciário da Comarca de Fortaleza.

Segundo a PC-CE, após a realização de uma auditoria na Sesa, foram encontrados indícios do funcionamento de um esquema criminoso de favorecimento financeiro indevido que envolve gestores e profissionais da saúde, ligados à COAPH, que atuavam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Questionada sobre a Operação, a Sesa informou, em nota, que "tomou todas as medidas que eram de sua competência nesse caso e agora aguarda a apuração dos órgãos responsáveis".

A COAPH, também em nota, afirmou que se surpreendeu "com o procedimento de busca e apreensão realizado pela Polícia Civil na sede da Coaph Saúde". "Durante toda a execução do procedimento a Cooperativa esteve à disposição auxiliando os integrantes da Justiça que coordenavam o caso".

"Estamos à disposição da imprensa para falar sobre o assunto e reafirmamos nosso compromisso com a verdade dos fatos e reforçamos que as atividades são lícitas, não havendo quaisquer irregularidades a serem identificadas. Ressaltamos que acreditamos na importância da Polícia e do Poder Judiciário para apuração dos fatos", completou a Cooperativa.